10 Junho: Presidentes chegam juntos no mesmo avião a Cabo Verde

Da Redação
Com Lusa

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa, e o Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, chegaram neste 10 de Junho juntos, no mesmo avião, a Cabo Verde, para prosseguir as comemorações do Dia de Portugal.

“A partir deste momento, as comemorações são em Cabo Verde”, declarou Jorge Carlos Fonseca, à chegada à Cidade da Praia, considerando “uma grande honra” que o Estado português tenha decidido comemorar o seu dia nacional em território cabo-verdiano.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, também viajou no mesmo Falcon da Força Aérea Portuguesa, que aterrou no Aeroporto Internacional Nelson Mandela perto das 17:40 locais (19:40 em Lisboa), confirmou a Lusa junto de fonte da Presidência da República.

Num outro avião Falcon, que chegou praticamente à mesma hora, vieram outros integrantes da comitiva oficial destas celebrações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas em Cabo Verde, que decorrem entre hoje e terça-feira, divididas entre as ilhas de Santiago e de São Vicente.

As comemorações do 10 de Junho tiveram início em Portalegre, onde Jorge Carlos Fonseca também esteve na cerimônia militar, na qual, simbolicamente, houve uma representação das Forças Armadas de Cabo Verde.

Em breves declarações no aeroporto, com Marcelo Rebelo de Sousa ao seu lado, o Presidente de Cabo Verde falou numa “grande cumplicidade entre os dois países”, acrescentando: “O relacionamento é excelente. Há uma grande sintonia quanto a valores essenciais, a visão que temos do mundo, entre responsáveis políticos portugueses e cabo-verdianos”.

Em seguida, o Presidente português concordou que existe “convergência que, sendo de princípios, de valores, como foi dito, é antes do mais de pessoas”.

“Nós gostamos muito uns dos outros, nós damo-nos muito bem. Muito obrigado, senhor Presidente, por nos receber aqui”, afirmou, dirigindo-se para o seu homólogo cabo-verdiano.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, as comemorações do 10 de Junho em Cabo Verde representam “um duplo encontro, um encontro de Portugal com as portuguesas e os portugueses da diáspora” na “pátria irmã de Cabo Verde” – que são, no total, cerca de 21 mil, espalhados por várias ilhas – “e, ao mesmo tempo, um encontro entre Cabo Verde e Portugal”.

“Estamos espalhados pelo mundo em diásporas que quase se sobrepõem: onde existe um cabo-verdiano existe um português, onde existe um português, existe um cabo-verdiano. E é assim há muito, muito tempo”, referiu.

Em Cabo Verde, além do Presidente da República e do primeiro-ministro, estão os ministros da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, e os deputados Feliciano Barreiras Duarte, do PSD, Carlos Pereira, do PS, Maria Manuel Rola, do BE, Pedro Mota Soares, do CDS-PP, e João Dias, do PCP.

Em 2016, ano em que tomou posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa lançou um modelo inédito de comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, acertado com o primeiro-ministro, em que as celebrações começam em território nacional e se estendem a um país estrangeiro com comunidades emigrantes.

Nesse ano, o Dia de Portugal foi celebrado entre Lisboa e Paris. Em 2017 as comemorações foram no Porto e nas cidades brasileiras do Rio de Janeiro e São Paulo. E em 2018 dividiram-se entre Ponta Delgada, nos Açores, e as cidades de Boston, Providence e New Bedford, na Costa Leste dos Estados Unidos da América. Neste ano, decorrem em Portalegre e em Cabo Verde.

Boas-vindas

O Presidente e o primeiro-ministro de Portugal, acompanhados dos homólogos cabo-verdianos, foram hoje recebidos na Escola Portuguesa de Cabo Verde (EPCV), na Praia, ao som de batucadeiras que improvisaram versos com os seus nomes.

Os chefes de Estado Marcelo Rebelo de Sousa e Jorge Carlos Fonseca tinham dado os primeiros passos no recinto da escola, quando pararam para ouvir e admirar as danças e cantos de um grupo de batucadeiras, as quais já há algum tempo improvisavam versos com o nome do chefe de Estado português.

Após esta animada receção, os chefes do Estado e do Governo inauguraram o pavilhão desportivo da EPCV e procederam à entrega de vários livros para a biblioteca da escola. No decorrer da visita, os quatro tiraram uma fotografia de grupo, acompanhados de alunos e professores para registo deste momento inédito.

EUA felicita Portugal

O departamento de Estado norte-americano felicitou Portugal pela comemoração do seu dia nacional, sublinhando os laços de amizade e cooperação que unem os dois países.

Numa mensagem, o secretário de Estado, Michael Pompeo, desejou, em nome do povo norte-americano, “as maiores felicidades ao povo de Portugal no seu dia nacional”.

Mike Pompeo lembrou que mais de um milhão de norte-americanos têm raízes portuguesas, considerando que Portugal e os Estados Unidos partilham “laços duradouros de amizade e aliança”.

“A visita do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa aos Estados Unidos e o seu encontro com o Presidente [Donald] Trump, em junho de 2018, continuou a nossa tradição de próximas e frutíferas relações bilaterais, que remontam ao reconhecimento diplomático dos Estados Unidos por Portugal, em 1791”, adiantou.

O secretário de Estado norte-americano considerou ainda Portugal um “parceiro valioso, um amigo e um aliado na NATO”.

“Trabalhamos juntos para promover as nossas ligações culturais e históricas e a nossa prosperidade partilhada e garantir a nossa segurança conjunta”, disse, manifestando a expectativa de continuar “no futuro” a reforçar a amizade e cooperação com Portugal.

Também o secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) felicitou o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, e o “povo português” pelas comemorações do 10 de junho, que classificou como “um momento de festa”.

“Muito me apraz, em nome do secretário executivo da CPLP e em meu nome próprio, felicitar vossa excelência e povo português pela celebração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas”, disse Francisco Ribeiro Telles, numa carta enviada a Marcelo Rebelo de Sousa.

Para o secretário executivo da CPLP estas celebrações constituem “um momento de festa em todo o espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, evidenciando os sentimentos e os laços que unem os nossos povos há séculos”.

Por outro lado, as comemorações dos 10 de junho são também “uma ocasião de grande alegria, que se traduz numa homenagem efetiva ao espírito da Comunidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend