Alunos de Carapinheira lançam livro sobre países de língua oficial portuguesa

Da Redação

Vinte e dois alunos entre os 11 e os 13 anos do sexto ano da escola José dos Santos Bessa, na Carapinheira, concelho de Montemor-o-Velho, dedicaram o último ano letivo a estudar os países de língua oficial portuguesa e, com a ajuda dos professores, publicaram em livro.

"Coisas e Sabores de Língua Portuguesa" está dividido pelos oito países de língua oficial portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste – e indica em cada um deles a sua história, os símbolos nacionais, a geografia, a cultura, a religião, os recursos económicos e a gastronomia.

Para Juliana Ribeiro, 12 anos, esta experiência foi marcada pela descoberta de dois países em particular: Angola e Guiné-Bissau. "Foram os países que estudei", disse a jovem à Agência Lusa, acrescentando que nunca pensou "ser tão interessante estudar outras culturas".

"Nunca pensei que países que falassem a mesma língua conseguissem ser tão diferentes", afirmou Juliana Ribeiro, que confessou que gostava de visitar Angola e Guiné-Bissau.

Por seu lado, Rafael Simões, 12 anos, disse ter "pesquisado muito, muito" para saber tudo sobre o Brasil, o país que estudou, e destacou os "passatempos preferidos dos brasileiros, que são a dança, ir à praia e jogar futebol", como o que mais o impressionou.

No seu conjunto, os jovens afirmaram que a elaboração do livro "Coisas e Sabores de Língua Portuguesa" foi uma "boa experiência" e disseram que gostariam de fazer outro. "Podíamos fazer um manual de instruções sobre como fazer um livro ou um a contar a experiência do que foi este ano letivo", sugeriu Juliana Ribeiro.

Em declarações à Agência Lusa, o coordenador do projeto, o professor Luís Gaivão, disse que a idéia de fazer o livro nasceu na disciplina de Área Projeto, que este ano "a escola decidiu que ia tratar da Alimentação". "Sugeri que tratássemos a Alimentação reduzindo o tema aos países de língua oficial portuguesa, mas chegamos à conclusão que só as receitas gastronômicas era pouco, pelo que foi lançado o desafio de estudarmos outros temas", disse o professor, que com este livro se despede da docência.

Sublinhando que iniciaram a idéia de fazer o livro "com zero euros", Luís Gaivão disse que receberam vários patrocínios que permitiram concluir o projeto e confessou que termina a carreira de "uma forma simples" com um livro que gostou de coordenar.

Luís Gaivão disse ainda que a obrao "não é comercial" e que vai ficar nas páginas eletrônicas da escola, do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O livro foi apresentado na sede da CPLP, cujo secretário-executivo, Luís Fonseca, apelou para os jovens "continuarem com o interesse pelas realidades dos países de língua portuguesa e contribuírem para uma maior aproximação dos povos que utilizam o português como língua de comunicação". "Não somos muitos, mas a língua portuguesa está a ganhar cada vez mais importância no mundo", sublinhou o diplomata cabo-verdiano. Com Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend