Na estreia de Dida, Lusa vence São Paulo e aumenta a crise no Morumbi

Da Redação – A Portuguesa entrou em campo neste sábado, 23, no Canindé, onde recebeu o São Paulo em clássico válido pela 6ª rodada do Brasileirão. Depois da desclassificação do tricolor na semi final da Copa do Brasil, agora a derrota para a Lusa aumentou a crise que atinge o treinador Leão, e os craques que não estão conseguindo resolver em campo: Luis Fabiano, Casemiro e Fernandinho, os escolhidos da torcida para protestos mais incisivos.

Torcida da Lusa faz comemora primeiro grande resultado do ano no Canindé. Foto: Portuguesa.

A Portuguesa, com essa importante vitória, soma seus 7 pontos e respira depois de vários tropeços. Geninho arrumou o time durante a semana e pôde contar com a estreia do pentacampeão Dida, que pouco trabalhou neste jogo, por conta da fraca atuação do ataque sãopaulino.

Enquanto o São Paulo vai encarar na próxima rodada, o líder Cruzeiro, em Minas (que venceu neste mesmo sábado, o Vasco, em São Januário, por 3×1, a Lusa recebe no domingo outra pedreira, o Santos, que foi desclassificado da Libertadores pelo Corinthians e precisa apostar todas as suas fichas no Campeonato Brasileiro para tentar salvar seu ano. Enquanto a Lusa, não pode voltar a perder pontos em casa.

A pressão para a equipe do Morumbi começou ainda antes da entrada dos jogadores em campo, a torcida já começou a jogar contra o time, chamando os jogadores de “pipoqueiros”, entre outros xingamentos que substituíram os incentivos habituais e nesta altura a torcida já tentava atingir todos do time, inclusive o técnico Leão. Mesmo durante a partida e mesmo quando o goleiro Dênis fez importante defesa, a torcida são-paulina chamou o camisa 22 de “mão de alface”, e ao Casemiro cantaram um coro no qual diziam que o atacante estava “morto”.

A Portuguesa, mesmo com sua torcida em menor número, soube suportar a pouca pressão e ainda levar perigo, foi uma equipe competitiva o suficiente para frear as investidas do São Paulo no primeiro tempo, criar seus lances de perigo e voltar mais arrumada para a segunda etapa.

Logo aos 11 minutos, Guilherme, que já havia tentado em outros lances, fez boa jogada e cruzou a bola para dentro da área. Ivan dominou pela esquerda e chutou cruzado sem chances para Dênis, abrindo o placar para a Lusa, que teve outras duas oportunidades com Diego Viana e Vandinho logo em seguida (aos 16 e 17 minutos), mas não souberam aproveitar.

A Portuguesa passou a dominar o jogo e estava na busca do segundo gol, enquanto o São Paulo não conseguia esboçar reação. Emerson Leão até tentou mexer no time para melhorar o quadro, entraram Maicon e Fernandinho, porém as alterações serviram apenas para que os protestos aumentassem ainda mais. Aos 26, Rodriguinho quase conseguiu o segundo gol depois de um arremate cruzado.

Ao final, quem foi no Canindé assistiu duas equipes com objetivos distintos. O São Paulo tendo que administrar pressões das mais variadas, precisando provar uma capacidade de reação e mostrar que pode alcançar algum resultado que não seja desastroso neste ano. E do outro lado a Portuguesa que tenta arrumar uma equipe competitiva, que consiga trazer de volta a alegria do torcedor, que ainda sonha em chamar seu time de “Barcelusa” – só que neste caso, não seria numa série B, mas diante dos maiores clubes de futebol do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend