Euro20024: Euforia com ou sem bilhete antes do treino aberto de Portugal na Alemanha

Da Redação com Lusa

 

Milhares de adeptos aguardam o primeiro treino da seleção portuguesa em solo alemão, numa sessão aberta que decorreu no estádio Heidewaldstadion e que vai conta com cerca de oito mil pessoas.

Em Guntersloh, cidade que recebe o treino, cerca de três horas antes do início da sessão de trabalho as 18:00 locais (17:00 em Lisboa) já existiam filas enormes junto aos acessos ao recinto e muita procura de bilhetes no exterior, na esperança de entrarem no estádio.

Bogdan, adepto natural da Ucrânia, mas que reside no Reino Unido, era um dos muitos que procuravam o bilhete com a esperança de assistir ao treino da seleção.

“Quero tentar encontrar um bilhete e até estou disposto a comprar. Gosto muito da seleção portuguesa e do Ronaldo, mas o Diogo Jota é o meu jogador favorito. Acredito que Portugal pode ir longe e vou torcer pela seleção, depois da Ucrânia claro”, afirmou, envergando uma camisola do Liverpool.

No exterior, além das camisas, bandeiras e cachecóis de Portugal, também saltam à vista muitas camisas dos sauditas do Al Nassr, clube no qual atua Cristiano Ronaldo, que é o foco da maioria dos presentes.

“Eu só estou aqui para ver o Ronaldo”, disse à Lusa um outro adepto, que procurava descobrir o local por onde ia entrar o autocarro da seleção portuguesa.

Muitos emigrantes também marcam presença, entre eles um grupo de seis que viajou 200 quilómetros desde Colônia para ver a seleção, aproveitando para comer uma bifana enquanto os portões não abriam.

Um outro grupo de adeptos lusos rumou desde Paderborn e estava a aguardar a chegada dos bilhetes, confiantes de que iam conseguir entrar no estádio.

Os portões do estádio abriram pouco depois das 16:00 locais (15:00 em Lisboa), e muitos adeptos correram para tentar encontrar os melhores lugares, de preferência junto às grades, de modo a estarem o mais perto possível dos futebolistas.

A Federação Portuguesa de Futebol entregou em mão 1.600 convites para o treino, de forma a evitar o que se passou com os convites da Câmara local e UEFA, que acabaram por ser vendidos no mercado negro, alguns por centenas de euros.

Portugal fará a sua estreia no Euro2024 de futebol na terça-feira, frente à República Checa, em Leipzig, em jogo do Grupo F. Vai defrontar ainda a Turquia (22 de junho, em Dortmund) e a Geórgia (26, em Gelsenkirchen).

Ronaldomania

A seleção portuguesa chegou dia 13 a Marienfeld, na Alemanha, onde foi recebido cerca de cinco mil adeptos, quase todos em êxtase com a presença de Cristiano Ronaldo.

A comitiva lusa chegou ao complexo desportivo do Hotel-Residence Klosterpforte, onde vai ficar e treinar durante o torneio, às 20:57 locais (19:57 em Lisboa), com um grupo de adeptos composto por emigrantes portugueses e habitantes locais a gritarem sobretudo por Ronaldo que, aos 39 anos, continua a ser a grande figura de Portugal.

“Ronaldo, Ronaldo, Ronaldo” foi a banda sonora da chegada da seleção, pela voz de cerca de cinco mil adeptos, de acordo com os números divulgados pelas autoridades locais à agência Lusa.

Camisas com o número ‘7’ de Portugal, do Al Nassr, seu atual clube na Arábia Saudita, do Manchester United e Real Madrid eram fáceis de encontrar no aglomerado de pessoas, com algumas a levarem escadotes, outros a subirem árvores, para ficarem com melhor visão sobre a chegada.

Mal o autocarro da seleção entrou no hotel, a primeira barreira de proteção foi ‘furada’ e os adeptos, quase todos de celular em punho, cercaram por completo a barreira colocada à volta do recinto, alguns tentando até trepar a cerca na esperança de tirar uma fotografia ou fazer um vídeo do capitão da seleção.

Os perto de 50 polícias que estavam no local ainda tentaram impedir a primeira ‘invasão’, sem sucesso, preferindo deixar os adeptos mais perto do hotel.

Duas horas antes, ainda o avião da seleção nacional não tinha aterrado em Munster – chegou às 19:25 locais (18:25 em Lisboa) -, já cerca de dois mil adeptos marcavam presença no local, com muitos ‘Ronaldos’ e sardinhas à espera.

A pequena e pacata vila de Marienfeld, na Alemanha, encheu-se de ‘vida’, com muitas pessoas, de todas as idades, vestidas com a camisola da seleção lusa, com bandeiras e alusões à cultura portuguesa, e também um rancho folclórico, da zona de Gutersloh.

O hotel responsável pelo complexo desportivo em que a seleção vai estagiar durante o torneio montou uma ‘funzone’ com música, animação, bebidas e comida, incluindo a tradicional sardinha assada, algo típico nesta altura do ano em solo luso, nas festas populares.

“Tínhamos de estar presentes para apoiar Portugal. A sardinha veio diretamente de Peniche. Tenho uma pessoa que costuma trazer e habitualmente temos peixe português”, disse à Lusa Artur Rodrigues, emigrante na Alemanha há 53 anos e o responsável pelo cheiro único da sardinha assada em Marienfeld.

É a segunda vez que a seleção lusa faz de Marienfeld a sua ‘casa’ num torneio, depois da participação na fase final do Mundial2006, que também decorreu na Alemanha.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: