Centros de alto rendimento afirmam Portugal como destino desportivo

Da Redação
Com Lusa

A promoção internacional é fundamental para a viabilidade econômica e desportiva dos Centros de Alto Rendimento (CAR) e para a afirmação de Portugal como destino desportivo, segundo o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

“Esta promoção, esta valorização internacional destas instalações revela-se fundamental para a sua viabilidade econômica, mas também para a viabilidade desportiva”, afirmou o ministro da Educação, durante a sessão de encerramento do projeto de Internacionalização da Rede Nacional de CAR.

Em Rio Maior, onde foram apresentados os resultados do projeto dinamizado pela Fundação do Desporto, Tiago Brandão Rodrigues sublinhou a “mais-valia” da promoção internacional para atletas e federações, mas também para a monitorização “do potencial de rentabilização dos CAR” e da “afirmação de Portugal como destino desportivo”.

O projeto, cuja sessão de encerramento decorreu no CAR de Rio Maior, vai potenciar a promoção dos 14 centros de alto rendimento no país (abrangendo 18 modalidades desportivas) “em dez novos mercados internacionais”, disse o presidente da Fundação do Desporto, Paulo Frischknecht, à agência Lusa.

Alemanha, Angola, Austrália, Brasil, China, Emirados Árabes Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Suécia são os países nos quais foram dadas a conhecer as condições que Portugal tem “para oferecer, quer em termos de preparação, quer em termos de oportunidade para [clubes e seleções] treinarem os seus atletas”.

A internacionalização da rede, cujo projeto deverá ficar concluído até ao final do ano, está a ser feita com recurso a produção de vídeos e manuais técnicos alusivos aos respetivos CAR, mas também da apresentação de Portugal como “um destino desportivo”.

Para já, “20 jornalistas dos 10 países e 60 dirigentes, decisores, técnicos e treinadores de todas as modalidades representadas nos CAR” visitaram as estruturas nacionais, aguardando a Fundação “os resultados que esse conhecimento poderá vir a trazer no futuro”.

Tanto mais que, explicou Paulo Frischknecht, “os CAR ‘bandeira’ e mais conhecidos [Jamor e Rio Maior] têm uma ocupação plena” ao longo do ano, mas “na restante parte da rede há ainda alguns em que é necessário suprir algumas lacunas em termos de eficácia” para que seja atingida “a sua plenitude”.

O projeto de Internacionalização da Rede Nacional de CAR tem um orçamento de 1,2 milhões de euros, suportado pelo programa Portugal 2020.

A sessão de encerramento do projeto ficou ainda marcada pela inauguração, no CAR de Rio Maior, de uma sala de estudo de apoio à Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE).

No país existem atualmente 16 UAARE que, segundo o ministro da educação, “apoiam 350 alunos/atletas, que praticam 32 modalidades” e cujo sucesso escolar ronda os 90%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend