Após empate, Jorge Jesus contesta VAR e acusa Grêmio de falta de ‘fair-play’

Da Redação
Com Lusa

O treinador Jorge Jesus questionou a eficácia do VAR e as decisões do árbitro Néstor Pitana, após o empate 1-1 do Flamengo, para a Taça Libertadores de futebol, e acusou o Grêmio de falta de ‘fair play’.

“O resultado soube a pouco. O Flamengo podia ter saído daqui [Porto Alegre] com uma vitória. Marcamos quatro golos, mas só um é que valeu”, afirmou Jorge Jesus, na conferência de imprensa, após o jogo de quarta-feira, da primeira mão da meias-finais, entre duas equipes brasileiras.

Grêmio e Flamengo empataram na noite de quarta-feira 1-1, com golos de Bruno Henrique para os visitantes e Pepe para os locais, numa partida em que o videoárbitro (VAR) anulou três golos à equipa orientada pelo treinador português.

Jorge Jesus contestou a arbitragem do argentino Néstor Pitana, de 44 anos, que, na sua opinião, nos lances duvidosos, “nunca foi a favor do Flamengo”, e questionou as decisões do VAR, principalmente nos dois primeiros golos anulados, a Everton Ribeiro e Gabriel Barbosa ‘Gabigol’.

O treinador apontou ainda a falta de ‘fair-play’ do Grêmio, defendendo que o adversário devia ter parado o jogo na jogada que levou ao golo do empate, uma vez que Filipe Luis estava deitado no relvado e pedia a entrada da equipa médica.

“Faremos isso no futuro”, afirmou o técnico português, que afirmou que o Flamengo continua a ser a melhor equipa e mantém intacta a possibilidade de marcar presença na final da Taça dos Libertadores, no Chile, já que vai ainda jogar a segunda mão em casa.

A eliminatória será decidida no mítico Maracanã, em 23 de outubro, com o Flamengo, que vai numa série de 12 jogos consecutivos sem perder (nove vitórias e três empates), bem lançado para repetir 1981 – bateu na final o Cobreloa, num jogo de desempate (2-1 em casa, 0-1 fora e 2-0 em campo neutro).

Na terça-feira, na primeira mão da outra meia-final, entre argentinos, o campeão em título River Plate bateu em casa o ‘vice’ Boca Juniors por 2-0, com tentos do colombiano Santos Borré, aos sete minutos, de grande penalidade, e Nacho Fernández, aos 70.

O encontro da segunda mão realiza-se em 22 de outubro, no La Bombonera, onde se registou, em 2018, um empate a dois no primeiro jogo da final, antes de tudo se decidir no Bernabéu, em Madrid, onde o River venceu por 3-1, após prolongamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend