Portugueses têm feito cada vez mais investimentos no Brasil, diz ministro

A comemoração de 96 anos da Câmara Portuguesa São Paulo reuniu autoridades e empresários luso-brasileiros, e homenageia o presidente da TAP, Fernando Pinto.

Por Odair Sene Mundo Lusíada

Mundo Lusíada

>> Zeinal Bava (Portugal Telecom), Antonio Pargana (Cisa Trading) e Fernando Pinto (TAP) durante o evento.

Na noite de 27 de outubro, a Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil – São Paulo promoveu um jantar em comemoração aos seus 96 anos de fundação. O evento reuniu empresários luso-brasileiros, políticos e autoridades portuguesas no espaço Leopoldo Itaim, em São Paulo.

Além de entregar a distinção de “Personalidade do Ano 2008” ao presidente do conselho de administração da TAP, Fernando Pinto, o evento contou com uma representação governamental, a presença do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações de Portugal, Mário Lino.

Em entrevista ao Mundo Lusíada, Mario Lino elogiou o comando da Câmara Portuguesa em São Paulo, instituição a qual “merece todo o nosso apoio porque é muito apostada no desenvolvimento das relações entre os dois países”, defendeu. “A Câmara Portuguesa é uma instituição a caminho dos cem anos. É uma instituição muito dinâmica, seu presidente Antonio Pargana é uma pessoa muito ativa, empenhada em mobilizar a comunidade portuguesa, e sua inter-relação com a comunidade empresarial brasileira. E faz com que a Câmara seja uma forma de encontro e articulação de idéias e projetos entre o empresariado português e brasileiro” elogiou o ministro.

No âmbito desta relação bilateral, o ministro afirmou que as empresas portuguesas têm feito cada vez mais investimentos no Brasil em diferentes domínios, como telecomunicações, energias e turismo. “Hoje, não é uma relação comercial do tipo importa/exporta. Há muito investimento em tecnologias renovadas e desenvolvimento tecnológico” exemplifica o ministro.

“Também o investimento brasileiro em Portugal tem vindo a aumentar. Lembro há pouco tempo, o último investimento importante feito pelo Brasil foi da Embraer, que vai criar uma fábrica em Portugal. É muito importante esse cruzamento entre empresas portuguesas e brasileiras, e os investimentos do Brasil em Portugal”.

Comentando sobre a crise financeira, Mario Lino disse que a crise afeta a todos os países, mas a relação Brasil-Portugal mantém-se. “Infelizmente é uma crise muito difícil e que ocorre muito raramente, uma vez a cada cem anos. Todos os países sentem essa crise, mais ou menos. O que é importante é que a união entre países, principalmente países como Portugal e Brasil que têm tão bom relacionamento, continuam a apostar no seu desenvolvimento e na sua motorização, isso ajuda fazer face à crise” defendeu Mario Lino, citando uma relação bilateral estável. “É em momentos de crise que se vê a importância que tem esta relação entre Portugal e Brasil”.

Este trabalho de aproximação é feito por órgãos como a Câmara, há 96 anos. Para o presidente da Câmara Portuguesa de Comércio – São Paulo, Antonio Pargana, a instituição procura exatamente promover eventos que unam portugueses e brasileiros “dentro de um espírito comum” disse. “Neste caso, para fazer negócios que podem gerar melhor qualidade de vida para os respectivos povos” defendeu.

Ao Mundo Lusíada, Pargana disse sentir-se “feliz” por ser prestigiado com a presença de autoridades, políticos, membros da comunidade, da sociedade e empresariado brasileiro. Os principais grupos brasileiros estavam representados, bem como os principais grupos portugueses.

Sobre o homenageado da noite, o presidente da TAP, Pargana citou-o como decisivo na contribuição em ligar a capital Lisboa e o Porto à sete capitais brasileiras. São mais de 60 vôos por semana, transportando mais de um milhão de brasileiros, e dando-os “a oportunidade de conhecer o país que originou o Brasil” afirmou. “É uma pessoa que tem realmente, e foi avaliado pela Câmara, muita importância na ligação entre os povos e que merece destaque por isso”.

Brasileiro, diretor da maior empresa aérea de Portugal, Fernando Pinto provou sua competência, na opinião de Antonio Pargana. “Ele tem provado o seu conhecimento do Brasil, mostrou como é possível criar sinergias, e a sinergia criou uma posição privilegiada de Portugal, a frota da TAP, a sua inserção no espaço europeu, mas com um mercado muito maior. Este é o segredo do sucesso de um homem trabalhador e competente”.

Ao Mundo Lusíada, Fernando Pinto, que esteve acompanhado pela esposa Rosa Alice e pelo diretor geral da Tap no Brasil, Mário Carvalho, falou sobre o reconhecimento do seu trabalho, através da homenagem recebida pela Câmara Portuguesa como Personalidade do Ano 2008. “É importante dizer que eu fui muito bem acolhido em Portugal”, disse ressaltando que, tão importante quanto, é também ser reconhecido no Brasil. Em especial pela Câmara Portuguesa.

Fernando Pinto revelou ainda que a empresa projeta fechamento “negativo” em 2008. Perguntado se teria a ver com a crise econômica mundial, o presidente executivo atribuiu o balanço negativo ao preço do petróleo. A expectativa, segundo o dirigente é que, com as novas descobertas do produto – inclusive no Brasil – deve haver, num futuro próximo, mais competitividade neste setor em níveis globais, só então, com a concorrência, o combustível deve cair de preço no mercado mundial.

Fernando Pinto, no entanto, tem saldo muitíssimo positivo à frente da companhia. O executivo é apontado como responsável direto pela recuperação da empresa, que ainda no ano 2000 apresentava prejuízos de 122 milhões de euros. Em 2007 a Tap teve o melhor ano da sua história, com lucro de 32,8 milhões de euros, mais de 350% que os 7,3 milhões registrados no exercício anterior. Também o resultado operacional da companhia presidida por Fernando Pinto registrou um crescimento de mais de 160%, com 79,3 milhões de euros em 2007. 2008 é, apenas, um ano atípico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend