Portugal desafia bancos centrais a procurar novas fontes de rendimento

Da Redação
Com Lusa

O administrador do Banco de Portugal Hélder Rosalino desafiou os bancos centrais lusófonos a serem “mais criativos” na procura de novas fontes de rendimento, considerando que isso estimula os departamentos de gestão de reservas.

Um “aspecto importante é a procura de novas fontes de rendimento, isto estimula os bancos centrais e os departamentos de gestão de reservas a trabalharem com novas oportunidades, para serem mais criativos, para procurarem fontes de investimento diferenciadas e alternativas que possam gerar rendimento e combinar de forma ótima a relação retorno de risco”, defendeu.

Hélder Rosalino falava na abertura do 1.º Encontro de Gestão de Reservas Externas dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa, sob o tema central “Os Desafios e as Tendências da Gestão de Reservas Externas no Contexto Internacional Atual”.

Referindo que cada banco deve olhar para as suas especificidades, o administrador do Banco de Portugal disse ainda que os bancos centrais do Países de Língua Portuguesa devem investir na melhoria dos modelos de governação, na gestão das reservas e dar mais autonomia às funções de gestão de risco.

Também entendeu que os bancos centrais devem reforçar a sua posição nos mercados internacionais, levando sempre em conta o desafio do enquadramento econômico “bastante adverso” para a gestão de reservas, sobretudo por causa das taxas de juros muito baixas.

No caso de Portugal, o administrador disse que o banco central deu “passos significativos” desde 2012, com a criação de um departamento de gestão de risco financeiro e outro de gestão de reservas, fazendo com que o país olhe para os mercados da mesma forma que olham os outros agentes.

Hélder Rosalino foi um dos oradores principais do encontro, tendo falado sobre a evolução, perspetivas e desafios da economia mundial e regional.

O encontro tem como objetivo promover um espaço de discussão de matérias relevantes no âmbito da gestão de reservas e de riscos, bem como a troca de experiências em relação aos desafios que se colocam à gestão de ativos externos no atual contexto internacional de enorme complexidade.

Durante o evento serão apresentados e debatidos temas como o contexto internacional e estratégias de investimento, políticas e normas na gestão de reservas, escolha de ativos de investimento, gestão e mitigação de riscos na gestão das reservas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend