Imóveis e turismo são 87% de investimento luso no Brasil

Da Agencia Lusa

O setor imobiliário e o turismo são responsáveis por 87% do investimento português no Brasil, segundo informações do Banco de Portugal, o banco central luso.

As negociações de imóveis e a prestação de serviços no setor absorvem 83% do investimento português no Brasil, enquanto hotelaria e restaurantes ficam com 4%, segundo dados analisados pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep), a que a Agência Lusa teve acesso.

É preciso considerar, no entanto, que os valores de imobiliário incluem os investimentos e desinvestimentos feitos por sociedades gestoras de participações sociais, que se dedicam a vários ramos de atividade e que, por isso, podem não estar necessariamente associados aos imóveis.

Hotéis, complexos turísticos, empreendimentos imobiliários de luxo e centros comerciais são algumas das apostas de empresas como Sonae Sierra, Grupo Espírito Santo e Grupo Pestana.

Apesar de ainda ser dominante, o setor imobiliário foi um dos que mais diminuiu sua participação no total de investimentos portugueses no Brasil nos últimos nove anos, perdendo cinco pontos porcentuais. Outra grande redução de peso foi do setor energético.

Na segunda metade dos anos 90, a Energias de Portugal (EDP, dona da Energias do Brasil) comprou empresas de distribuição (a totalidade do capital de Bandeirante, Escelsa e Enersul) e produção de eletricidade (participações na Lajeado e na Peixe Angical). No entanto, a EDP não manteve o ritmo de investimento depois da virada do milênio, fazendo a cota da energia no investimento luso cair de 11% em 1998 para perto de zero em 2007.

A situação pode se reverter, pois a EDP Renováveis, participada da elétrica que entrou para a Bolsa de Lisboa neste ano, já demonstrou interesse em ampliar atividade no mercado brasileiro. A empresa se dedica à exploração de parques eólicos na Europa e nos Estados Unidos.

A queda de imobiliário e energia cedeu espaço aos setores de hotéis e restaurantes e construção. Este último, no qual atuam Mota Engil e Somague, elevou sua fatia nos investimentos em dois pontos porcentuais.

Investimento de Portugal no Brasil………1998……2007

Imóveis, aluguéis e serviços……………………….87%…….83% Hotéis e restaurantes………………………………..0%………4% Construção…………………………………………….0%………2% Indústria de transformação…………………………0%………1% Atividades financeiras……………………………….1%………0% Água, gás e eletricidade…………………………..11%………0% Outros………………………………………………….1%………10%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend