Governo destaca mais 43 mil novos empregos criados no último ano em Portugal

Da Redação

A taxa de desemprego desceu para 6,3% no segundo trimestre deste ano, menos 0,5 pontos percentuais (p.p.) face ao trimestre anterior e menos 0,4 p.p. em comparação com o trimestre homólogo. Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que este é o valor mais baixo desde 2011 em Portugal.

Segundo o governo, o desemprego desceu para as 328,5 mil pessoas, menos 6,6% do que em igual período do ano passado (menos 23,3 mil pessoas), e alcançou o patamar mais baixo em quase 17 anos, sendo preciso recuar até ao terceiro trimestre de 2002 para encontrar um número mais baixo de desempregados.

A taxa de desemprego jovem ficou nos 18,1% no segundo trimestre, com uma descida de 1,3 p.p. face ao valor registado no trimestre homólogo (19,4%), e traduzindo um decréscimo de 5,8% do número de jovens desempregados (menos 4 mil).

No mesmo sentido, a taxa de desemprego de longa duração ficou nos 3,3% no 2.º trimestre, com uma redução de 0,2 p.p. face ao mesmo trimestre de 2018 e correspondendo a uma diminuição de 5,1% do número de desempregados de longa duração (-9,3 mil).

A redução do desemprego foi acompanhada pelo aumento do emprego. No segundo trimestre deste ano o emprego cresceu 0,9% em termos homólogos, correspondente a mais 42,6 mil empregos líquidos, alcançando o patamar mais elevado desde o primeiro trimestre de 2010: 4,9 milhões de pessoas empregadas.

Para este crescimento contribuiu sobretudo o aumento de 0,5% do número de trabalhadores por conta de outrem (mais 20,3 mil), e em particular o crescimento de 1,9% do número de trabalhadores com contratos sem termo (mais 61,1 mil), sendo de destacar a descida de 4,5% do número de trabalhadores com contratos a termo e outros vínculos temporários (menos 40,8 mil).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend