Em Janeiro, Portugal abriu mais de 150 novas empresas por dia

Do total de 4.912, mais do que em 2017, a maioria foi nos setores do imobiliário e construção.

Da Redação
Com Lusa

Em janeiro nasceu uma média de 158 empresas, por dia, em Portugal. Do total de 4.912, mais do que em 2017, a maioria foi nos setores do imobiliário e construção, tendo encerrado 1.332, menos do que um ano antes.

De acordo com o barômetro da Informa D&B sobre nascimentos, encerramentos e novas insolvências, divulgado nesta quarta-feira, o número de empresas criadas em janeiro supera em 10,3% o apurado no ano passado para o mesmo mês, “mantendo-se assim a dinâmica dos nascimentos”.

Apesar do aumento generalizado, as atividades imobiliárias e a construção foram os dois setores que mais cresceram percentualmente em número de novas empresas, com mais 140 empresas (aumento de 44,7%) e mais 118 empresas (subida de 28,5%), respectivamente.

Os serviços e o retalho são os setores com maior número absoluto de novas empresas (1.589 e 639, respectivamente).

Os encerramentos registrados em janeiro, por sua vez, caíram 2,5% face ao mês homólogo, conduzindo a um pequeno abrandamento no ritmo de descida verificado no último ano.

Nas novas insolvências (227), o ciclo de descida iniciado em 2013 mantêm-se no primeiro mês de 2018, sendo generalizado à maioria dos setores.

A percentagem de empresas que cumpre os prazos de pagamento acordados (15,7%) registra o valor mais reduzido desde 2007, tendo-se acentuado a deterioração deste indicador desde setembro do ano passado.

Os dois maiores distritos em número de empresas (Lisboa e Porto) são também os que mais cresceram em número de nascimentos: nascem mais 240 empresas e outras organizações em Lisboa (16,6%), e no Porto nasceram mais 111 (14,1%).

Quanto aos encerramentos, os dois maiores distritos em número de empresas mantêm a tendência verificada em 2017, com Lisboa e Porto a descerem 1,8% e 16,8% respetivamente.

Nos últimos 12 meses, o número de empresas criadas por cada uma que encerra foi de 2,7 (rácio nascimentos / encerramentos), valor ligeiramente superior ao verificado há um ano (2,3).

Os setores com maior rácio de nascimentos / encerramentos são as atividades imobiliárias (6,5) e a agricultura, pecuária, pesca e caça (4,1).

Em janeiro, a porcentagem de empresas que pagam dentro dos prazos acordados (15,7%) atingiu o valor mais baixo desde 2007, com o atraso médio de pagamento a situar-se nos 26 dias, semelhante ao registado nos últimos 12 meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend