Brasil terá selo para biocombustível ecologicamente correto, diz Lula

 

Ouça  

 

 

Da Rádio ONU

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que o Brasil lançará um selo ambiental para certificar a produção de seus biocombustíveis. O anúncio foi feito durante o discurso de abertura dos debates na Assembléia Geral da ONU.

"Os biocombustíveis brasileiros estarão presentes no mercado internacional com um selo que garanta suas qualidades sócio-laborais e ambientais", disse.

O presidente brasileiro rebateu ainda a críticas, de agências internacionais, relacionando o etanol à insegurança alimentar e disse que as plantações de cana-de-açúcar do país ocupam somente 1% de terras aráveis.

Lula defendeu a utilização de biocombustíveis, em grande escala, e disse que a receita brasileira já é uma garantia de sucesso.

"Os biocombustíveis são vitais para construí-la. Eles reduzem, significativamente, as emissões de gases do efeito estufa. No Brasil, com a utilização crescente e, cada vez mais, eficaz do etanol, evitou-se nestes últimos trinta anos a emissão de 644 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera", explicou.

O presidente aproveitou para convidar líderes de todo o mundo para uma conferência internacional sobre biocombustíveis no Brasil, já no próximo ano. Lula propôs a realização de uma outra conferência sobre o meio ambiente em 2012, nos moldes da Eco-92, no Rio de Janeiro. Ao mudar para economia, Lula pediu o fim do impasse na Rodada de Doha, uma série de negociações que prevêem a liberalização do comércio. Segundo ele, é hora de se chegar a um acordo sem proteções dos países desenvolvidos.

"São inaceitáveis os exorbitantes subsídios agrícolas que enriquecem os ricos e empobrecem os mais pobres. É inadmissível um protecionismo que perpetua a dependência e subdesenvolvimento", disse.

Pouco antes de finalizar o discurso, ele lembrou a participação brasileira no Haiti e elogiou o papel da ONU no mundo.

"As Nações Unidas são o melhor instrumento para enfrentar os desafios do mundo de hoje. É no exercício da diplomacia multilateral que encontramos os meios de promover a paz e o desenvolvimento", disse.

Por tradição, o Brasil é o primeiro país a discursar na Assembléia Geral da ONU desde a fundação do órgão.

Deixe uma resposta