São Bernardo acolhe Mostra de Cinema Português

Mundo Lusíada

 

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, através do seu Departamento de Ações Culturais, e o Instituto Camões – Brasil divulgam a programação da "Mostra de Cinema Português".

Alusiva aos 200 Anos da Chegada da Família Real ao Brasil, a programação apresenta clássicos do cinema português, na cidade da região metropolitana de SP, ABC Paulista.

Entre os filmes portugueses apresentados estão “Uma Abelha na Chuva”, de Fernando Lopes, “Os imortais”, de António Pedro Vasconcelos, “Non ou a Vã Glória de Mandar”, de Manoel de Oliveira, “O Milagre Segundo Salomé”, de Mário Barroso, “Ossos”, de Pedro Costa,“Tarde Demais”, de José Nascimento, “Tráfico”, de João Botelho” e “A Passagem da Noite”, de Luís Filipe Rocha.

A mostra acontece de 6 a 30 de agosto, no Teatro Abílio Pereira de Almeida (Praça Cônego Lázaro Eqüini, 240 – Bairro Baeta Neves, em São Bernardo do Campo, SP). Confira as sinopses:

UMA ABELHA NA CHUVAFernando Lopes – 1971É a leitura cinematográfica de Fernando Lopes do romance homónimo de Carlos de Oliveira, num filme que encena de forma admirável um Portugal rural desencantado, sombrio e enclausurado, no final da década de 60, e que um crime brutal vem abalar. As paisagens sonoras abstractas, a impressionante fotografia e as inesquecíveis interpretações de Laura Soveral e João Guedes juntam-se numa obra de excelência do cinema português. OS IMORTAISAntónio-Pedro Vasconcelos – 2003Adaptado do romance de Os lobos não usam coleira, de Carlos Vale Ferraz, o filme Os Imortais retrata a vida de ex-combantes do Ultramar, no que diz respeito à sua dificuldade de reinserção e inadaptação na sociedade, às reacções de impulsividade e à violência sentida e praticada à flor da pele.O interessante neste filme é que estas questões reais são tratadas de uma maneira simples mas inteligente. Nada mais do que uma história de polícias e ladrões mas muito bem estruturada e desenvolvida, sem cair num ridículo de alguns filmes de acção.NON OU A VÃ GLÓRIA DE MANDARManoel de Oliveira – 1990Primeiro filme português que aborda de frente a memória da guerra colonial, evocando diversos pontos de viragem da nossa história, "Non" é um filme que conjuga a reflexão sobre o destino de um país, cujos homens quiseram ir sempre mais além, e que depois de 1974 se vê reconduzido às suas fronteiras originais. Um filme com uma dimensão espectacular ímpar, de que é exemplo a reconstituição da batalha de Alcácer-Quibir. Retratando de forma grandiosa e singular diversos acontecimentos da história de Portugal, que são evocados por um pelotão de militares nos últimos anos da guerra colonial, "Non" é uma notável e muito pessoal reflexão de Manoel de Oliveira sobre a identidade e o destino português.O MILAGRE SEGUNDO SALOMÉMário Barroso – 2004Portugal, 1917. O país vive uma grande agitação política e social e diz-se que em Fátima a virgem apareceu a três pastorinhos.Salomé, uma jovem vinda da província, é uma das muitas raparigas que animam um dos mais conhecidos bordéis de Lisboa, mas é uma rapariga tão especial que um dia um senhor de posses convida-a para viver em sua casa e apresenta-a à alta sociedade de Lisboa.Mas o seu passado não deixará de a perseguir e Salomé, que pensava que este seria para ela o começo de uma nova vida, vai afinal acabar por perder tudo ao tornar-se personagem involuntária desse milagre que então agitou o país… OSSOSPedro Costa – 1997Estrela de África, um bairro crioulo dos arredores de Lisboa. Um bebé de poucos dias irá sobreviver a várias mortes. Tina, a sua jovem mãe, pega-lhe ao colo e abre o gás. Resgatado pelo pai, ele dormirá nas ruas da cidade alimentado pelo leite da caridade alheia. Por duas vezes, quase será vendido, por desespero, por amor, por quase nada. Mas Tina não se esquece. Com a ajuda das suas vizinhas do bairro a vingança aproxima-se…TARDE DEMAISJosé Nascimento – 1999TARDE DEMAIS conta a história de quatro homens que tentam sobreviver ao naufrágio de uma velha canoa de pesca no meio do rio Tejo. Após horas de submersão esperam a luz da manhã e a baixa da maré para poderem caminhar entre os bancos de ostras e chegarem a uma das duas ilhas aluviais, em direcção à margem. Mas a longa espera e a temperatura gelada da água deixou-os com os corpos debilitados e os pensamentos turvos. Os caminhos escolhidos para chegarem à margem reservam perigos e sacrifícios inesperados. A salvação não parece óbvia. "Olhem que isto é perto de olho e longe de braço" diz António, o mais velho, que volta para o barco.

Os mais novos continuam a caminhada mas as opiniões dividem-se e os conflitos emergentes separam-nos inevitavelmente. Os bancos de ostras cortam-lhes os pés, as correntes do rio arrastam-lhes os corpos. O lodo suga-lhes o movimento lento das pernas. Joaquim, o mais forte, vê-se obrigado a voltar para o barco, para junto de António.Manel, depois de nadar até ao mouchão da Póvoa chega exausto, mas Zé, o dono da traineira, continua em direcção à margem. Anoitece. Em terra, as famílias tentam desesperadamente arranjar meios para os salvar. João, filho de Zé, parte com Mestre Vau para o rio em busca deles. A noite já vai longa quando a polícia marítima inicia uma busca no rio. A salvação tarda e os quatro pescadores estão à beira de serem derrotados pelo frio e pelo desespero.

TRÁFICOJoão Botelho – 1998Tudo começa quando uma família normal e friorenta, obrigada a passar férias fora de época por dificuldades económicas, é bafejada pela sorte. Jesus, assim se chama o filho do casal, encontra enterrado na areia da praia deserta, um tesouro escondido e proibido: a riqueza da Terra. No mesmo dia e não longe dali dois padres decidem fechar as portas da sua igreja por falta de crentes e fazem um leilão de imagens dos seus queridos Santos. Entre a riqueza dos céus e o espírito da matéria partem à aventura. Um banqueiro com alucinações auditivas quando fala do seu dinheiro e as respostas de um ministro com alucinações visuais quando trata de influências. Uma mulher elegante, suave e misteriosa, com uma bela cabeleira falsa e esplêndidas cores, incendeia tudo por onde passa. Um general à volta com traficâncias de armas e a sua pequena mulher à volta com artes, Olimpos e cabelos disparatados. E muitas mais aventuras. Como os ricos verdadeiros e antigos se divertem, como os ricos novos ou falsos encontram dificuldades e como tudo acaba em bem. "Sejamos facciosos para reparar as injustiças do mundo".

PASSAGEM DA NOITELuís Filipe Rocha – 2003Mariana tem 17 anos, vive na periferia de Lisboa e é estudante de liceu. Um dia vê-se confrontada com uma situação desesperada: é violada por um toxicodependente e descobre mais tarde estar grávida. Por medo, vergonha ou raiva decide encobrir de todos – pais, namorado, amigos, polícia e tribunal – e enfrentar o sucedido sozinha.Apenas um insistente inspector da judiciária, uma espécie de anjo da guarda, e uma prostituta pragmática assistem ao percurso secreto de sobrevivência à violação, subsequente gravidez indesejada e possível contaminação com sida desta jovem, que se vê assim forçada a uma "passagem" para a idade adulta conturbada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend