Salvador abre exposição de artes “Bahia-Portugal: Pontos que Nos Unem”

Da Redação

Numa iniciativa do Consulado de Portugal na Bahia em colaboração com a Cátedra Fidelino Figueiredo (UNEB/ Camões, I.P.), está patente ao público no Teatro Castro Alves, em Salvador na Bahia, a exposição “Bahia-Portugal: Pontos que Nos Unem”.

Até 15 de julho, a mostra simboliza a união entre os dois lugares através da arte e das artes plásticas, e reúne obras inéditas de dois grandes representantes da arte contemporânea: o baiano Bel Borba e a portuguesa Helena Cardoso.

A exposição faz parte da programação do projeto multicultural “Bahia-Portugal: Pontos que nos unem”, uma iniciativa do Consulado de Portugal na Bahia, em parceria com a Cátedra Fidelino de Figueiredo – Camões, I.P./UNEB.

A abertura da exposição, que teve lugar no dia 15 de junho de 2018, contou com a participação dos artistas e de autoridades, como o embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Dias Cabral, a Cônsul-Geral de Portugal na Bahia, Nathalie Viegas e outras autoridades.

O projeto pretende celebrar as relações culturais, históricas e de afeto entre a Bahia e Portugal, e tem como função potenciar as ações entre os meses de maio e junho, anualmente, para celebrar datas importantes como o dia 5 de maio (Dia da Língua Portuguesa e da Cultura Lusófona) e o dia 10 de junho (Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas).

Bel Borba se sentiu honrado pelo convite para preparar um trabalho especial em homenagem a relação da Bahia com a pátria portuguesa: “A primeira coisa que me ocorreu, quando fui convidado pela Cônsul Nathalie Viegas, foi fazer um trabalho onde eu ilustrasse em cada obra laços comuns entre essas duas culturas. Decidi que a coleção apresentada seria uma abordagem visual sobre um avanço na direção do futuro”, explica o artista.

Sobre os artistas
Helena Cardoso é uma artista plástica e designer radicada no Porto, mas a sua obra tem uma escala muito maior. Através do seu trabalho, procura libertar outras mulheres com o uso da arte. Com essa iniciativa, a artista reabilitou os antigos teares e alavancou a mão de obra feminina no norte de Portugal. A sua criação artística fugiu das fronteiras dos vestuários e as peças transformaram-se em aquarela, escultura, molduras e paredes.

Bel Borba nasceu em Salvador e é pintor, desenhista, gravador, escultor, muralista de “cerâmica e mosaicos”, performista e intervencionista urbano. Com exposições na Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Alemanha, Suíça e Espanha, Bel é um dos principais expoentes da arte contemporânea baiana. Seu trabalho, fortemente urbano, dialoga com a tradição e a cultura de Salvador, mas com mensagens globais.

O horário de visitação acontece das 12h às 18h, entre terça e domingo, de forma gratuita. O Teatro Castro Alves fica na Praça Dois de Julho, Campo Grande, em Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend