Residência do Primeiro-Ministro recebe Arte em São Bento 2019 até final do ano

Da Redação

A Residência Oficial do Primeiro-Ministro em Lisboa vai acolher uma seleção de obras de arte contemporânea portuguesa, entre pintura, fotografia e escultura, pelo terceiro ano consecutivo.

A partir deste dia 5 e até final do ano, o espaço estará aberto ao público todos os domingos, apresentando 34 obras de artistas portugueses, provenientes da Coleção Norlinda e José Lima, com curadoria de Isabel Carlos.

Inaugurada em 2017, a iniciativa Arte em São Bento propõe uma trajetória inédita por coleções portuguesas de arte contemporânea, em regime de rotatividade anual. Todos os anos, a Residência Oficial abre as suas portas a uma coleção diferente.

Depois da Coleção Serralves em 2017 e da Coleção António Cachola/Museu de Arte Contemporânea de Elvas em 2018, este ano a Residência Oficial dá lugar a uma seleção de obras provenientes da Coleção Norlinda e José Lima, uma das maiores coleções privadas de arte do país, sediada no Centro de Arte Oliva, em São João da Madeira.

Dois princípios orientaram as escolhas da curadora Isabel Carlos: o equilíbrio entre artistas mulheres e homens, que se traduz numa mostra paritária; e a atenção particular à criação contemporânea, optando por mostrar artistas atuais.

A iniciativa Arte em São Bento não se trata de uma exposição, como num museu ou numa galeria. As obras estão instaladas nas principais salas da Residência Oficial, desde as mais públicas — sala de recepção, sala de audiências, sala de jantar — a espaços de trabalho, ajustando-se à funcionalidade de cada lugar.

Desde junho de 2016, os jardins do Palacete de São Bento estão abertos à população todos os domingos, com entrada gratuita. A partir de outubro de 2018, o acesso do público estendeu-se às salas principais da Residência, que também estão disponíveis para visitas ao domingo até final do ano, entre as 10h00 e as 17h00.

A inauguração da Arte em São Bento 2019 – Coleção Norlinda e José Lima terá lugar na quinta-feira, dia 5 de setembro de 2019, às 18h00, e será aberta ao público. O programa inclui também um concerto do quarteto Danças Ocultas nos jardins da Residência.

Com esta iniciativa, pretende-se valorizar a arte como expressão da singularidade da cultura portuguesa e promover a proximidade entre os cidadãos e os centros de soberania e decisão, abrindo as portas da Residência Oficial a visitas públicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend