Oceanário de Lisboa abre exposição feita a partir de lixo marinho

Da Redação

Um dos pontos turísticos mais emblemáticos de Portugal, o Oceanário de Lisboa apresenta agora a exposição “Keep the oceans clean”, um total de nove instalações artísticas feitas a partir de lixo marinho encontrado em praias e retirado do mar.

A exposição, da autoria de João Parrinha e Xandi Kreuzeder do “Skeleton Sea – Arte do Mar”, está patente no átrio principal do Oceanário, onde os visitantes podem contemplar um impressionante peixe feito com chinelos de plástico que vieram parar numa praia na África do Sul.

Também um enorme polvo foi construído a partir de lixo encontrado nas praias ou, até, um incrível albatroz construído no Quênia, com lixo marinho, ferro e arame, e que pretende alertar para os perigos a que estão sujeitas as aves marinhas devido à poluição por plástico no oceano.

A poluição marinha tem um enorme impacto nas espécies e ecossistemas marinhos, com a acumulação e deterioração de plástico e outros resíduos no oceano. Foi o que mobilizou os artistas do “Skeleton Sea” a criar a exposição “Keep the oceans clean”, com o objetivo de elevar a consciência e o conhecimento sobre o problema crescente da poluição no oceano e, assim, inspirar o público, através da arte, a proteger os ecossistemas marinhos.

O “Skeleton Sea – Arte do Mar” é um projeto criado em 2005 por João Parrinha, Portugal, Luis de Dios, Espanha, e Xandi Kreuzeder, Alemanha. O projeto nasceu da vontade de três surfistas e amantes do mar que, através da sua expressão artística, apostam na sensibilização da população para a necessidade de se envolverem na preservação do oceano.

O Oceanário, na Esplanada D. Carlos I em Lisboa, é aberto todos os dias, tendo neste verão horário de funcionamento das 10h às 20h, com ingressos a partir de 10 euros para jovens, e 16 euros para adultos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend