“Livros do Brasil” inaugura coleção de clássicos com “Amor de Perdição”

Da Redação
Com Lisboa

Em Lisboa, a editora ‘Livros do Brasil’ inaugura este mês uma nova coleção dedicada aos clássicos portugueses, incidindo particularmente no século XIX, com a publicação de “Amor de Perdição”, de Camilo Castelo Branco.

Esta nova coleção segue a linha do que tem vindo a ser feito com a publicação das obras de Eça de Queiroz, alargando agora o leque a outros autores lusos, como é o caso de Camilo Castelo Branco, um dos expoentes do romantismo português, e o seu romance mais lido, “Amor de Perdição”, que chega às livrarias no dia 13.

Escrita em quinze dias de prisão, e baseada na sua própria experiência, esta obra representativa do movimento romântico português conta a história do amor de Simão Botelho e Teresa Albuquerque, de dezassete e quinze anos, respectivamente.

Um amor singular que não esmorece face à oposição das suas famílias fidalgas, a perseguições, a condenações, ao exílio, uma paixão a que se juntará a jovem Mariana e que terá um final trágico.

“Amor de Perdição” alcançou grande êxito logo aquando da sua publicação, em 1862, e é, até hoje, tido como uma das mais apaixonantes histórias de amor da literatura portuguesa, estando indicada nas Metas Curriculares de Português para o 11.º ano do Ensino Secundário.

Camilo Castelo Branco nasceu em Lisboa, em 1825, e começou por cursar Medicina, uma breve passagem que daria lugar às Letras, em que se estreou em 1845, publicando, seis anos depois, o seu primeiro romance, “Anátema”.

Em 1860, na sequência de um processo de adultério desencadeado pelo marido de Ana Plácido, com quem mantinha um relacionamento amoroso desde 1856, Camilo e Ana Plácido foram presos, mas acabaram por ser absolvidos no ano seguinte, por D. Pedro V.

Entre 1862 e 1863, Camilo publicou onze novelas e romances, atingindo uma notoriedade dificilmente igualável na época, e tornando-se o primeiro escritor profissional em Portugal, dotado de uma extrema capacidade para efabular a partir da observação da sociedade, com inclinação para a intriga e análise passionais.

Além de “Amor de Perdição”, Camilo Castelo Branco é também autor de outras obras centrais na história da literatura portuguesa, como é o caso de “A Queda dum Anjo” e “Eusébio Macário”.

Em 1890, cego e impossibilitado de escrever, Camilo Castelo Branco suicidou-se com um tiro de revólver, vindo a falecer em S. Miguel de Seide (Vila Nova de Famalicão).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend