Literatura portuguesa é estudada em escola de São Paulo

A rica literatura portuguesa faz parte da história cultural e da formação do Brasil. Ela já foi exemplo e inspiração para muitos autores brasileiros, que deveria fazer parte do currículo escolar dos jovens brasileiros. É o que acontece no Colégio Santa Isabel, localizado na Vila Carrão em São Paulo, uma instituição que completou este ano 22 anos de fundação.

Mundo Lusíada

Gil Vicente, Fernando Pessoa, Luís de Camões. Além da literatura brasileira, a portuguesa também tem espaço na formação escolar dos jovens alunos, como parte das aulas do Ensino Médio do Colégio. “Aqui nós temos alguns alunos que são apaixonados por Fernando Pessoa”, diz a professora Daniela, parte do corpo docente que leciona, do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, a literatura portuguesa e brasileira. O que não é muito comum nesta nova geração de estudantes, já que os jovens têm outros atrativos. Mas para este grupo é diferente, diz a professora. “Eles só não adquiriram livros, mas fazem pesquisas por conta própria, e procuram divulgar para os próprios colegas o gosto principalmente por Fernando Pessoa”. Além de cumprir o mínimo exigido pelo MEC (Ministério da Educação do Brasil), o colégio busca valorizar em sua grade curricular os grandes autores e as grandes obras da língua portuguesa. Dirigido pelo professor Luís Antonio Provinciato Caetano, o Colégio Santa Isabel atende cerca de 1.050 alunos numa área de 10.000m², e é dividido em três blocos: educação infantil, com um espaço de recuperação de animais devidamente e oficialmente reconhecido pelo Ibama, para animais com deficiência física; o bloco central que reúne os alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio. E o terceiro bloco é específico da área de educação física. O espaço para práticas esportivas inclui uma piscina semi-olímpica de 25 metros, com raias oficiais e máquinas de ondas, além de uma piscina com temperatura específica para tratamentos de hidroterapia e fisioterapia, rampa para cadeira de rodas e cascata para trabalhos de recuperação física, de acordo com Luis Caetano. No Colégio Santa Isabel Literatura, gramática e história. As três áreas interligadas constituem a base da formação dos alunos. No Colégio Santa Isabel é desenvolvido um trabalho com um contexto histórico fazendo com que o aluno compreenda os motivos de importantes publicações, como Os Lusíadas. “Fazemos esse trabalho paralelo para que o aluno possa compreender o que, naquela época, motivou Camões a escrever uma obra como Os Lusíadas”. A interligação entre as matérias escolares é muito importante, de acordo com a coordenação do colégio. A professora de literatura fala sobre a forte questão do cristianismo em algumas obras portuguesas, e o retrato de mulçumanos – dos mouros – como vilões aos olhos ocidentais. “É interessante como trabalhamos essa visão dentro da sala de aula, mesmo porque, tenho alunos descendentes de mulçumanos. Procuramos traçar um paralelo do que hoje temos sobre os muçulmanos, em relação a cultura ocidental, mostrando que antigamente tinha-se o inverso dependendo da produção e da cultura. Então se hoje, para o Islã, nós somos ocidentais e parecemos vilões, em algum momento, também dentro da literatura ocidental, eles pareceram vilões”. Portanto todo esse conhecimento não pretende mostrar apenas uma obra distante no tempo. “Buscamos estabelecer uma relação paralela com o cotidiano, e tudo o que aquela obra, independente da nacionalidade, algo a acrescentar no nosso cotidiano, na nossa vivência. Aqui nós chamamos de aprendizado para a vida”, diz a professora que acredita mudar o dia-a-dia dos alunos na sociedade, através da literatura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend