Jornal Mundo Lusíada

Prêmio em euros e livros de Ferreira de Castro para jovens escritores brasileiros

A Associação de Literatura Juvenil da cidade de Oliveira de Azeméis, em Portugal, acaba de lançar a 3ª versão do Concurso Ferreira de Castro para jovens escritores brasileiros, em duas categorias: para adolescente de 12 a 15 anos e  para jovens de 16 a 20 anos. Em 2006, as duas primeiras versões do concurso foram dedicadas aos estudantes de Portugal e do Brasil. Em julho próximo, estará aberto aos outros países de Língua Portuguesa: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste.

O tema dos trabalhos de redação é livre. Os candidatos podem apresentar um ou mais trabalhos, em prosa ou em verso. O prazo para a remessa dos textos encerra-se no próximo dia 30 de junho. O primeiro lugar de cada uma das categorias terá um prêmio em dinheiro no valor de 200 euros, uma coleção de livros de Ferreira de Castro e um Certificado de Premiação.

Em sua juventude, Ferreira de Castro morou no Brasil. É um escritor português de prestígio internacional, autor do famoso romance “A selva”, ambientado na Amazônia brasileira. Outro livro muito interessante de Ferreira de Castro é “A e a neve”, que tem como cenário a cidade portuguesa da Covilhã, na região da Serra da Estrela. É a história de um pastor de ovelhas, cujo sonho era ter uma casa própria e ser operário de um fábrica de tecidos. Em Brasília, no Memorial JK, encontram-se os dois livros de FC com a seguinte dedicatória ao estadista brasileiro: “Ao presidente JK, alto espírito, pleno de clarividência e de sentido de criação, cuja obra em prol do Brasil imortalizaria o seu nome, o seu amigo e admirador Ferreira de Castro”.

Com a finalidade de participar ou prestigiar o Concurso Ferreira de Castro  (que é uma bela iniciativa da terra natal do escritor), as Prefeituras Municipais, através de seus órgãos de educação e cultura, poderão coordenar e incentivar a participação dos jovens escritores de suas cidades, principalmente divulgando o Concurso e fazendo a remessa dos trabalhos para Portugal.

Além disto, em cada cidade, a instituição interessada poderá oferecer alguns prêmios aos jovens que participarem do Concurso em seu Município. O prêmio poderá ser, por exemplo, livros de Ferreira de Castro ou de outro escritor de Língua Portuguesa. Desta forma, com uma iniciativa de custo muito baixo, nossas Secretarias Municipais de Educação e Cultura estarão articulando-se com a cidade portuguesa de Oliveira de Azeméis, terra de um notável escritor luso-brasileiro, no desenvolvimento de interessante projeto de incentivo internacional à leitura e ao fazer literário.

 O regulamento do concurso pode ser consultado no site da APNCFC.

Texto de Jacinto Guerra [email protected] -, com informações do site www.luandadigital.com, da cidade de Luanda, capital de Angola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornal Mundo Lusíada

O livro reúne histórias e exemplos de empreendedores, citados como a “brava gente brasileira”, que fizeram a diferença na educação superior particular no Brasil. Histórias de vida e iniciativas de implementação de ensino de graduação eficazes são suas abordagens. Mas este é apenas um “ponto de partida, não de chegada” de um caminho ainda longo a ser percorrido pelos empreendedores na área da educação do país, apesar do reconhecido esforço que vem sendo desenvolvido por algumas instituições.

Para o jornalista Helio Batista Barboza, mestre em Administração Pública e Governo pela FGV, iniciativas como descritas no livro não relatam apenas uma forma de renda num ramo de negócios. A implementação de uma faculdade cria empregos diretos e indiretos, do vestibular à formatura, fazendo destes empreendedores não serem “apenas inovadores mas também desbravadores”.

CUSTÓDIO PEREIRA

Nascido em São Sebastião, Portugal, Custódio Pereira veio para o Brasil ainda criança e cedo já ajudava na renda familiar. Aos 9 anos de idade começou a trabalhar em uma padaria no Alto da Lapa (São Paulo) que pertencia ao seu tio. Logo depois foi operário em uma fábrica de relógio, e manteve muitos outros trabalhos paralelos, como vender velas em dia de finados no Cemitério Municipal da Lapa.

Entre outros empregos, empacotou pacotes num supermercado em Pinheiros, e acabou ingressando como Office-boy no Banco Mercantil do Brasil, em janeiro de 1967. Onze anos depois deixou a empresa, já como gerente-geral da agência bancária.

Formado em economia, com extensão em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, em 1978, quando foi convidado a ser diretor administrativo-financeiro da multinacional Gotaverken Industria e Comércio. Foi em 1986, e por mais 11 anos, que passou a dividir o seu tempo lecionando Economia Monetária e Economia Brasileira Contemporânea. Fez ainda pós-graduação em Finanças e Administração, mestrado pelo Mackenzie e doutorado pela USP. Seria concluído em 2000 uma MBA em Gestão Universitária e cursos de extensão na Universidade de Salamanca, na Espanha, na Dominican University of California e University os Richmond, nos Estados Unidos.

Custódio Pereira tem grande currículo na indústria de bens de capital, empresas de engenharia e bancos. Também logra com uma excelente carreira como professor, no ensino de graduação e pós-graduação. Em 1997 assumiu a direção financeira do Instituto Presbiteriano Mackenzie. No cargo de diretor presidente do Mackenzie esteve de março de 2003 a julho de 2005. Sob a gestão de Custódio Pereira, o Mackenzie subiu, em 2003, da posição 828º para 729º no ranking das mil maiores empresas brasileiras.Uma das mais antigas instituições com 135 anos de existência, criada por missionários protestantes, o Mackenzie trouxe um ensino único em 1870.

Hoje aos 55 anos, aceitando o convite da Fundação de Rotarianos de São Paulo, assumiu a função de diretor-geral das Faculdades Integradas Rio Branco, que mantém uma visão de ser “referência nacional e internacional” na educação.

Publicação Empreendedores do Ensino Superior

A história e as idéias dos grandes nomes da educação particular brasileira.

Editora Segmento

ABMES – Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend