Espetáculo: Amor de Pedro e Inês é apresentado no Brasil

O objetivo é apresentar uma das maiores companhias de balé de Portugal ao público brasileiro, como parte das comemorações dos 200 anos da chegada da família real.

Da Redação

Como parte das comemorações dos 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil, a Companhia Nacional de Bailado de Portugal apresenta "Pedro e Inês", de Olga Roriz, com espetáculos de 30 de maio a 15 de junho, em quatro capitais brasileiras.

A estréia aconteceu no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Dia 6 de junho, a companhia se apresentará em Brasília, no Teatro Nacional; no dia 9 de junho é a vez do Teatro Castro Alves, em Salvador; e nos dias 13, 14 e 15 de junho, a companhia estará em São Paulo, no teatro Alfa.

O espetáculo conta com coreografia, dramaturgia, seleção e edição musical de Olga Roriz, cenário de João Mendes Ribeiro, figurinos de Mariana Sá Nogueira, iluminação de Cristina Piedade e sonoplastia de Bruno Gonçalves.

O objetivo é apresentar uma das maiores companhias de balé de Portugal ao público brasileiro. A digressão pelo Brasil conta com o patrocínio da Energias do Brasil, apoio institucional do Ministério da Cultura de Portugal, por meio do GPEARI (Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais), Instituto Camões e Comissão 200 Anos Brasil-Portugal, com apoio da Tap Portugal.

Tragédia portuguesa A mais universal das tragédias portuguesas, a eterna paixão entre o príncipe D. Pedro e a bela dama da corte Inês de Castro é apresentada num trabalho original, criado especificamente para a Companhia Nacional de Bailado.

A história dos amores de Pedro e Inês faz parte do imaginário coletivo dos portugueses, mas também integra o legado cultural da humanidade, dada a universalidade do tema que esteve na base de peças de teatro e bailados criados em vários países.

Ao contrário do que acontece com outras histórias de amores trágicos, em que os dois amantes acabam por morrer, como é o caso de Romeu e Julieta, neste drama lusitano a amada é "ressuscitada" pelo amante depois de morta.

Depois de ter sucedido a seu pai (Afonso IV) no trono de Portugal, D. Pedro cumpriu o seu juramento e, não só mandou matar os assassinos de Inês, como também a coroou rainha e obrigou a nobreza a beijar a mão do seu cadáver.

A Companhia Nacional de Bailado foi criada em 1977, e trabalha regularmente com a Orquestra Sinfônica Portuguesa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Nacional do Porto, Quarteto de Pianos de Amsterdão e ainda com diversos músicos e maestros portugueses. O espetáculo, criado e dirigido por Olga Roriz, estreou pela primeira em julho de 2003, em Portugal. Com Portugal Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend