Escolas técnicas de SP superam média de Portugal, Finlândia, Japão e Canadá no Pisa

Da Redação

Quatro Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) participantes em 2017 do Pisa para Escolas (Pisa for Schools em inglês, o Pisa-S), avaliação internacional de estudantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), alcançaram resultados equivalentes ou superiores aos de países desenvolvidos.

Os resultados foram apresentados no último dia 13, pela diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, na Conferência Internacional de Lançamento do Pisa para Escolas, no Rio.

O exame avalia a competência de estudantes de 15 anos em todo o mundo nos quesitos Leitura, Matemática e Ciências. As unidades do Centro Paula Souza (CPS) participaram a convite da Fundação Lemann, que trouxe o Pisa-S para o Brasil com o objetivo de contribuir para a construção de políticas públicas baseadas em dados e evidências. Foram avaliadas 46 escolas brasileiras, da quais 13 eram particulares e 33 da rede pública.

As Etecs São Paulo (Etesp) e Guaracy Silveira, ambas na Capital paulista, obtiveram notas mais elevadas do que a média de países como Portugal, Canadá, Finlândia, Japão, Polônia, França, Reino Unido, Estados Unidos, Rússia, China e Chile em todas as três áreas.

Localizada na zona sul, no bairro com o quarto pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Capital paulista, a Etec Jardim Ângela também superou a média em Leitura e teve performance superior à média em Ciências de outros países como Reino Unido, Polônia e França.

Segundo o governo de São Paulo, a Etec Profª Marinês Teodoro de Freitas Almeida, de Novo Horizonte, no noroeste do Estado, também foi destaque em Leitura, à frente de Portugal, Reino Unido e China, e, em Ciências, de França, Rússia e Polônia, entre outros.

Panorama do ensino

O Pisa-S comparou resultados individuais de escolas que participaram voluntariamente da prova em 2017 com a média dos 70 países que realizaram o Pisa 2015. Aplicado a cada três anos, o Pisa trabalha com resultados nacionais para obter um panorama do sistema de ensino de cada país, enquanto a versão para Escolas faz um retrato específico de uma instituição.

Como as duas avaliações seguem o mesmo modelo, os resultados são comparáveis. No Brasil, foram selecionadas pela Fundação Lemann escolas de seis Estados que se destacaram positivamente em avaliações nacionais, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a Prova Brasil.

Ensino profissional

Para Laura Laganá, os ótimos resultados das Etecs no Pisa-S se explicam pela qualidade sistêmica do ensino. “Passamos por uma grande expansão de unidades na última década, nos estruturamos e conseguimos manter o padrão elevado”, afirma. A instituição investe cada vez mais em capacitação de professores para as metodologias ativas, foco na orientação pedagógica, atualização dos currículos em consonância com o mercado e monitoramento dos indicadores internos e externos.

Outro fator que concorre para as boas notas das Etecs é o próprio perfil profissional dos cursos – a grande maioria dos avaliados pelo Pisa-S cursava Ensino Médio integrado ao Técnico. “A educação profissional se aproxima dos anseios dos estudantes. É conectada com o mundo do trabalho e desenvolve competências atitudinais e socioemocionais, ajudando o estudante a elaborar um projeto de vida e de carreira. Esse contexto contribui para encantar o jovem”, diz Laura.

Nos últimos cinco anos, o número de matrículas no Ensino Médio integrado ao Técnico aumentou 64% no Centro Paula Souza. Paralelamente, a pontuação dos alunos no Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) também melhorou. Somente em 2018 em relação ao ano anterior, foram 6 pontos a mais em língua portuguesa e 7 em matemática.

Enem

As Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) também tiveram destaque no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018, repetindo o desempenho alcançado nos anos anteriores. O cruzamento dos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), publicados pela Folha de S. Paulo no dia 18 de junho, mostra que as 25 melhores escolas públicas da Capital e 32 das 50 melhores escolas estaduais do Brasil são Etecs. Entre as primeiras 60 melhores escolas públicas do Estado, 44 são Etecs.

Mais uma vez, a Etec São Paulo, conhecida como Etesp, figura como a melhor escola pública da Capital. Entre todas as escolas estaduais do Brasil, a Etesp é a sexta colocada e, entre as melhores públicas do Estado, aparece em terceiro lugar.

Da lista das 60 melhores públicas do Estado, 44 são Etecs, sendo 10 unidades da Região Metropolitana de São Paulo, como a Etec Presidente Vargas, de Mogi das Cruzes (8º lugar). Também se destacam 13 Etecs da Capital, dentre as quais a Guaracy Silveira e a Irmã Agostina, em 12º e 13º lugar, respectivamente. A Região de Campinas completa a relação com sete unidades, como as Etecs Vasco Antonio Venchiarutti, de Jundiaí, (11ª), e a Professor Carmine Biagio Tundisi, de Atibaia, (16º).

O Centro Paula Souza divulga a listagem das 50 melhores escolas públicas da Capital (em pdf) e as 50 melhores escolas estaduais do Brasil. Confira >>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend