Os candidatos de Brasil e Portugal para concorrer vaga no Óscar 2019

Da Redação

O filme “Peregrinação”, de João Botelho, é o candidato de Portugal a uma nomeação para os prêmios Óscar e Goya em 2019, anunciou a Academia Portuguesa de Cinema. Enquanto “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues, é o longa brasileiro que concorrerá a uma das vagas entre os cinco indicados ao prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira.

De Portugal, a longa-metragem, que transpõe para cinema episódios do livro “Peregrinação”, de Fernão Mendes Pinto, é a escolha portuguesa para uma nomeação para o prêmio de melhor filme estrangeiro tanto nos Óscares (EUA) como nos Goya (Espanha).

“Peregrinação”, impresso pela primeira vez em 1614, é um relato da presença dos portugueses no Oriente e uma crônica de viagens de duas décadas de vivência de Fernão Mendes Pinto.

Quando rodou o filme, no ano passado, João Botelho contou à agência Lusa que o filme “não é a `Peregrinação` de Fernão Mendes Pinto”, mas é uma parte, “como se fosse uma introdução à leitura” da obra.

O filme é protagonizado por Cláudio da Silva, à frente de um elenco que inclui ainda, entre outros, Catarina Wallenstein, Pedro Inês, Maya Booth, Cassiano Carneiro, Rui Morisson, Jani Zhao e Zia Soares.

Do filme faz também parte “Por este rio acima”, do músico Fausto Bordalo Dias, interpretado por um coro masculino.

Os prêmios de cinema espanhol Goya serão entregues dia 02 de fevereiro, enquanto a cerimônia do Óscar está marcada para 24 de fevereiro, em Los Angeles (EUA).

Do Brasil

“O grande circo místico” foi rodado em Portugal, numa coprodução com a portuguesa Fado Filmes. Com grande elenco, inclui atores como o francês Vincent Cassel, os brasileiros António Fagundes e Mariana Ximenes e os portugueses Albano Jerónimo e Nuno Lopes.

Após o anúncio feito dia 11 pela Comissão Especial de Seleção, indicada pela Academia Brasileira de Cinema (ABC), em evento na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o ministro brasileiro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, destacou a importância de o filme ter sido escolhido pela ABC, o que ocorre desde 2017.

“Considero importante que o setor audiovisual escolha o filme, e não o governo. Estar no Oscar é interessante do ponto de vista da divulgação internacional do filme escolhido e da valorização do setor audiovisual brasileiro”, destacou.

“O mundo está precisando de um pouco de poesia, de magia, e o filme do Cacá traz isso para nós, nossa brasilidade, a música brasileira, a alegria do brasileiro. Precisamos de poesia, então todos os membros da comissão acreditam que foi uma boa escolha”, afirmou a produtora Lucy Barreto, presidente da Comissão Especial de Seleção. Para a atriz Bárbara Paz, além “da beleza e da poesia musical, a mensagem de esperança foi determinante para a escolha da obra”.

O longa conta a história de cinco gerações de uma mesma família proprietária do circo. Da inauguração do Grande Circo Místico, em 1910, até os dias de hoje, o público pode acompanhar, com a ajuda de Celavi, mestre de cerimônias que nunca envelhece, as aventuras e amores da família Kieps, do seu auge à sua decadência, até o surpreendente final. Durante todo o tempo, o filme mescla realidade com fantasia em um universo místico.

“O filme se refere diretamente à cultura brasileira. Está com boas críticas internacionais, está com uma distribuidora internacional, nos Estados Unidos, e isso conta muito também. É uma grande produção”, destacou Lucy Barreto.

O secretário do Audiovisual do MinC, Frederico Mascarenhas, disse que o Ministério empregou todos os esforços para que a Comissão fizesse a seleção. Ele ainda informou que o Ministério investirá R$ 200 mil para a circulação do filme.

Até o momento, 35 países já indicaram suas produções para concorrer à categoria de melhor filme estrangeiro. O anúncio final dos indicados ao Oscar será no dia 22 de janeiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend