UE apoia com 65 milhões de euros três províncias angolanas afetadas pela seca

Da Redação
Com Lusa

A União Europeia (UE) lançou nesta segunda-feira mais uma tranche de um fundo de subvenções de 65 milhões de euros para financiar projetos de organizações da sociedade civil nas províncias angolanas da Huíla, Cunene e Namibe, afetadas pela seca.

A verba aprovada é de 12.337.500 euros, de fazem parte de um total de 65 milhões de euros, financiados pela UE no âmbito do projeto de Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN).

Do valor total, 48 milhões de dólares vão ser geridos pelo instituto Camões de Portugal, nos quatro anos de validade do projeto.

Segundo a gestora de subvenções do projeto de segurança alimentar, Ana Teresa Forjaz, foi lançado um desafio às organizações da sociedade civil a apresentarem, até 14 de outubro, projetos na área com enfoque na água, por ser uma prioridade e necessidade garantir-se às comunidades o acesso a esse bem.

“O segundo convite destina-se a projetos que possam trabalhar na área da segurança alimentar e nutricional e poderão ter diferentes atividades consoante o foco e a experiência das organizações da sociedade civil, por um lado, mas, obviamente, adequando ao diagnóstico e às necessidades das comunidades rurais que são o público alvo do projeto”, referiu a responsável em declarações à rádio pública angolana.

De acordo com a gestora, um terceiro convite será lançado às organizações da sociedade civil para um maior apoio às cooperativas, associações de produtores, nas áreas de comercialização, transformação e processamento dos produtos agrícolas.

O FRESAN é um projeto financiado pela UE para o apoio às províncias do sul de Angola mais afetadas pela seca e ameaçadas pelos efeitos das alterações climáticas, designadamente Huíla, Cunene e Namibe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend