Sebrae recebe evento de cooperação Brasil-Moçambique para os pequenos negócios

Da Redação

Começou, no dia 2, uma iniciativa inédita que envolve o Sistema Sebrae, Sebrae Mato Grosso e o IPEME-Instituto para Promoção de Pequenas e Médias Empresas de Moçambique. Nove técnicos e gestores da instituição moçambicana participam presencialmente do Programa Internacional de Intercâmbio de Conhecimento Brasil-Moçambique, que dura 30 dias e é realizado em Cuiabá (MT).

Três temas integram a programação: sustentabilidade, empreendedorismo e negócios rurais. Gestores e analistas das equipes do Sebrae MT e do Centro Sebrae de Sustentabilidade são os instrutores das oficinas, palestras e visitas técnicas a micro e pequenas empresas e empreendimentos rurais com práticas sustentáveis.

Em dezembro passado, a diretoria do IPEME demandou um programa de intercâmbio junto à Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério de Relações Exteriores (Itamaraty) e ao Sebrae Nacional, visando o desenvolvimento inclusivo e sustentável dos pequenos negócios moçambicanos. Em decorrência do expertise do Sebrae MT e do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS) – foi a primeira unidade do Sistema Sebrae a inserir o tema em suas ações e projetos – ficou definido que o atendimento à instituição seria realizado pela unidade de Mato Grosso.

Oportunidade

Engracia Bangalane, técnica do Departamento de Produtividade do Ipeme, agradeceu a oportunidade de troca de conhecimento e aprendizagem com o Sebrae MT e CSS, durante a abertura do programa. ”Esta formação será um passo importante para replicar o modelo Sebrae no Ipeme”, disse ela.

O grupo que veio de Moçambique é um mosaico, explicou, que reflete não só a dimensão nacional e local da existência da instituição, mas também o desejo de induzir uma abordagem estruturante aos desafios em seu país. “São 30 dias, que teremos no Sebrae e no Brasil a nossa segunda casa”, acrescentou.

Vida, economia e pequenos negócios

O diretor-superintendente do Sebrae MT, José Guilherme Barbosa Ribeiro, destacou que o Programa Internacional de Intercâmbio de Conhecimento Brasil-Moçambique é realizado graças ao espírito altruísta das duas instituições e não envolverá recursos financeiros.

O diretor também ressaltou que “muito mais do que o conhecimento, precisamos nos comprometer com a vida, que é igual em Moçambique, nos Estados Unidos na China ou na Rússia. Vida esta que, neste momento, está sendo ameaçada por um vírus microscópico”, observou.

“Vejam o impacto do Coronavirus, por exemplo, que coloca toda a tecnologia e conhecimento humanos à prova. É nesses momentos que a gente precisa fazer reflexões. Não adianta o homem já ter pisado na lua, pensar em ir à Marte ou criar tecnologias disruptivas. Percebemos nossa fragilidade diante de um vírus, que impacta a vida das pessoas e a economia mundial. Precisamos respeitar a vida”, enfatizou.

Idealizador do Centro Sebrae de Sustentabilidade – referência para o Sistema Sebrae e pequenos negócios brasileiros – José Guilherme agradeceu a oportunidade que o Ipeme está gerando para que o conhecimento acumulado pela instituição possa ser compartilhado e aplicado em Moçambique. Para ele, o mundo dos pequenos e médios negócios precisa ser valorizado e considerado, pois é fundamental para a vida e a economia do planeta, já que abarca a maioria das empresas em todos os países.

Sem esses empreendimentos não haverá desenvolvimento sustentável no planeta, profetizou. O diretor do Sebrae MT finalizou seu discurso de boas-vindas à missão do IPEME, conclamando os países de língua portuguesa a se tornarem parceiros para incluir os princípios da sustentabilidade neste enorme segmento empresarial.

“Temos a vantagem de falar a mesma língua”, justificou. Movimentos importantes podem surgir e evoluir a partir de poucas pessoas, ações e iniciativas simples como o intercâmbio entre Brasil e Moçambique, citou José Guilherme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend