Presidente português e ex-secretários entre nomeados a prêmio da CPLP

Da Redação
Com Lusa

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, e antigos secretários-executivos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão entre os nomeados ao prêmio José Aparecido da Oliveira, atribuído pela organização lusófona, e cujo vencedor será escolhido esta quinta-feira.

De acordo com a lista de dez nomeados, divulgada pela Lusa, Marcelo Rebelo de Sousa foi nomeado pelo Real Gabinete de Leitura, instituição histórica no Rio de Janeiro, enquanto a Fundação Amílcar Cabral designou como candidato o cabo-verdiano Luís Fonseca, secretário-executivo da CPLP entre 2004 e 2008.

Entre os nomeados estão também a anterior secretária-executiva Maria do Carmo Silveira (2016-2018), são-tomense, apontada pelo Estado português, e o seu antecessor, o embaixador moçambicano Murade Murargy (2012-2016), por iniciativa da Guiné Equatorial.

Em declarações à Lusa, o antigo secretário-executivo afirmou ter solicitado a sua retirada desta lista de candidatos ao prêmio.

“Quis ser coerente com a minha abordagem em relação a este prêmio, que foi atribuído maioritariamente a chefes de Estado ou de Governo e a uma ou outra instituição”, referiu.

O prêmio, de 30 mil euros, é atribuído ao vencedor, e Murade Murargy recordou que sempre defendeu que o valor deveria ser aplicado numa bolsa de estudos pós-graduação para cidadãos lusófonos.

Depois dos seus dois mandatos de dois anos na CPLP, Murade Murargy tem trabalhado como assessor do Governo da Guiné Equatorial para ajudar este país no seu processo de integração na comunidade, à qual aderiu em 2014.

Entre os restantes nomeados estão o poeta José Luís Tavares (Cabo Verde); a Universidade de Coimbra – Alma Mater Portuguesa (Saúde em Português); o professor associado de Literatura Portuguesa e Brasileira Roberto Vecchi (Itália); o professor titular em Literatura Hispano-Americana da Universidade de São Paulo Jorge Schwartz (Argentina); a Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa – DASP (autocandidatura) e o especialista em provérbios André Almeida Panzo (Angola).

O júri do prêmio reúne-se esta quinta-feira, por videoconferência, em sede de Comité de Concertação Permanente (composto pelos embaixadores dos nove Estados-membros).

Criado em 2011, o Prêmio José Aparecido de Oliveira pretende homenagear personalidades e instituições que se distingam na defesa, valorização e promoção da CPLP.

O primeiro distinguido foi o antigo chefe de Estado brasileiro Lula da Silva, e entre a lista de premiados constam também o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, o ex-Presidente português Jorge Sampaio, e o alto representante da União Africana para as parcerias com a Europa, Carlos Lopes.

José Aparecido de Oliveira foi um político brasileiro e antigo ministro da cultura do Brasil, considerado um dos principais defensores da criação da CPLP.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: