No Timor, Lula defende desenvolvimento sustentável

Mundo Lusíada

 

Ricardo Stuckert/PR

>> (Timor-Leste) – Presidente Lula e o presidente do Timor-Leste, José Ramos-Horta, na chegada ao almoço

 

Durante visita oficial a Ásia, o presidente brasileiro Lula da Silva assinou acordos bilaterais com o presidente timorense, José Ramos-Horta, no último 11 de julho em Dili. Para o presidente Lula, a cooperação do Brasil com o Timor tem produzido resultados “animadores”.

No plenário do Parlamento Nacional, ponto alto da agenda carregada de uma visita de Estado de dez horas ao país, o presidente brasileiro defendeu que a luta contra o analfabetismo e o desemprego são vetores prioritários da cooperação brasileira. “Não há desenvolvimento sustentável sem a luta contra a pobreza, a miséria e a exclusão social”, defendeu.

Entre os temas discutidos no encontro esteve a preocupação de ambos governos sobre a produção e abastecimento dos alimentos, concordando sobre uma maior produção e liberalização do comércio internacional, sobretudo de produtos agrícolas, em benefício dos países desenvolvidos – questão discutido na Rodada Doha da OMC – e defendendo uma "ordem internacional mais justa, próspera e solidária, em que os frutos do progresso material e dos avanços na produção de conhecimento sejam distribuídos de forma mais eqüitativa".

No comunicado conjunto divulgado após o encontro, em Timor-Leste, os governos destacaram a importância do papel das Nações Unidas, citando ainda a relevância da presença da ONU no Timor, além da necessidade de "reforma" do Conselho de Segurança, "em particular de sua ampliação com a inclusão de países em desenvolvimento de todas as regiões do mundo como membros permanentes". Timor Leste apoiou o ingresso do Brasil como membro permanente.

O encontro refletiu o processo de intensificação nas relações bilaterais, depois da visita realizada por Ramos-Horta ao Brasil, em janeiro deste ano. "Os dois presidentes enalteceram o profundo sentimento de amizade que une os dois povos, decorrente da lusofonia e da herança cultural compartilhadas. Destacaram, ademais, o papel da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) na promoção de atividades e projetos de apoio à lusofonia e de aproximação entre os países-membros" divulgou o governo brasileiro. Embora a língua oficial comum aos dois países tivesse sido um dos temas presentes na agenda de Luiz Inácio Lula da Silva, foi em tradução simultânea que parte do Parlamento timorense seguiu o discurso do presidente. “A maior parte das pessoas [do Timor Leste] só entende tétum”, explicou um dos técnicos do Parlamento, diante do embaraço dos assessores da diplomacia timorense e do desespero dos enviados especiais da imprensa brasileira com a tradução do discurso para tétum e inglês.Projetos de cooperaçãoEntre os atos assinados por ocasião da visita do presidente Lula ao Timor-Leste faz parte das cooperações técnicas diversas parcerias com instituições do setor público e privado. Foi prorrogado, até 2010, o envio de professores para capacitação de docentes no Timor, com previsão de chegada ao país ainda no mês de julho, segundo o Ministério das Relações Exteriores. Durante a visita, foi acertado ainda a implantação do primeiro curso de pós-graduação em Timor, com participação brasileira, além do projeto do centro SENAI com acréscimo de áreas de formação técnica, assim como a participação de cinco timorenses no programa de treinamento a técnicos de futebol de países da CPLP na Universidade de Brasília. Na visita do presidente brasileiro foi incluída uma exibição da seleção timorense de futebol sub-21, que vai participar dos Jogos Estudantis da CPLP, no Rio de Janeiro.

“Vamos fornecer pacotes de programas televisivos, telenovelas, telecursos, programação cultural e educativa, entretenimento infantil”, acrescentou Lula, sobre o reforço na área de conteúdos culturais. “Para isso, contamos com a colaboração de algumas das mais importantes empresas de comunicação e fundações culturais do Brasil”, anunciou.

No campo da agricultura e do meio ambiente, foi considerado positivo o andamento do projeto trilateral (Brasil-Indonésia-Timor-Leste) de reflorestamento de encostas, que incluirá componentes de produção de alimentos, e no campo da Justiça, um Grupo de Trabalho composto por juristas brasileiros está elaborando projetos de Código Penal Militar.    “Atendendo a uma solicitação do presidente timorense José Ramos-Horta, pedi a eminentes juristas brasileiros que elaborassem o Código Militar do Timor Leste”, afirmou Lula. Outra área em que o Brasil pretende continuar a dirigir a sua ajuda é o setor de segurança, prosseguindo o programa de formação das forças timorenses, com o início da terceira fase da instrução militar pelo Exército brasileiro às Falintil-Forças de Defesa do Timor Leste (F-FDTL).

Além de recebido pelo presidente Horta, Lula foi recebido ainda pelo primeiro-ministro Xanana Gusmão e pelo presidente do Parlamento Nacional, Fernando Lasama. O Brasil se comprometeu a continuar a colaboração, quando possível, com o país asiático em áreas como educação, cultura e esportes, formação profissional, saúde, justiça, agricultura e infra-estrutura. Além de ampliar cooperações em novas áreas como energias renováveis, meio ambiente, cultura, planejamento orçamentário e parcerias em programas de combate à pobreza. Com Agencias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend