Moçambique e Timor-Leste assinam três acordos de cooperação

Da Redação com Lusa

 

Moçambique e Timor-Leste assinaram hoje três acordos para a cooperação nas áreas política, ensino e recursos minerais, no âmbito de uma visita de trabalho que o chefe de Estado timorense realiza a Moçambique.

Os acordos foram assinados pelos chefes da diplomacia dos dois países, a moçambicana Verónica Macamo e o timorense Bendito dos Santos Freitas, momentos após uma reunião entre os Presidentes moçambicano, Filipe Nyusi, e de Timor-Leste, José Ramos-Horta.

Os acordos preveem que os dois países cooperem de diversas formas nas áreas de consulta política, ensino superior e hidrocarbonetos e minas.

“Os acordos assinados aqui são resultados de discussões e consultas políticas”, frisou o Presidente moçambicano, momentos após a assinatura.

Filipe Nyusi recebeu o homólogo de Timor-Leste, José Ramos-Horta, para aprofundar as relações de amizade e cooperação.

Ainda hoje, o chefe de estado timorense reúne-se também com a presidente da Assembleia da República de Moçambique, Esperança Bias.

José Ramos-Horta visita pela primeira vez Moçambique desde que tomou posse em 2022.

Durante a estadia em Moçambique, Ramos-Horta vai também colocar uma coroa de flores na Praça dos Heróis, receber a chave da cidade, apresentar uma palestra na Universidade Eduardo Mondlane sobre “Timor-Leste, a região e o mundo” e visitar o Centro de Análise Estratégica da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Depois de Moçambique, o chefe de Estado de Timor-Leste segue para Angola, numa visita que realiza entre a segunda-feira e quarta-feira, também para reforçar as relações bilaterais e da cooperação no âmbito da CPLP.

desafios comuns

 Presidente de Timor-Leste disse hoje que a cooperação com Moçambique é importante para a superação de “desafios comuns”, agradecendo ao país africano a solidariedade para com a causa timorense durante a luta pela independência.

“Embora Moçambique e os outros PALOP [Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa] tenham mais décadas desde o estabelecimento da declaração da independência, ainda enfrentamos desafios comuns na construção do Estado, consolidação da paz e desenvolvimento sustentável da economia”, afirmou José Ramos-Horta.

O chefe de Estado timorense falava aos jornalistas, após um encontro com a presidente da Assembleia da República de Moçambique, Esperança Bias, no âmbito da visita de trabalho que realiza ao país africano.

“Aprendemos mais e melhor [cooperando] entre nós”, declarou.

O Presidente de Timor-Leste sublinhou que o seu país é “eternamente grato” pela solidariedade que o Estado e o povo moçambicanos prestaram durante a luta contra a ocupação pela Indonésia.

“Aqui [em Moçambique] encontraram asilo e apoio muitos timorenses, que encontraram guarida” e depois “acederam a funções no Governo e no parlamento” de Timor-Leste, depois da independência, sublinhou Ramos-Horta.

A presidente da Assembleia da República de Moçambique, Esperança Bias, realçou a importância da cooperação parlamentar no fortalecimento de laços bilaterais em todos os domínios.

“Transmitimos o nosso interesse em fortalecer cada vez mais as relações de cooperação e amizade entre os dois países, através dos nossos parlamentos”, destacou Bias.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: