Governo chinês propõe cooperação trilateral com UE e África

Da Redação Com Lusa

A China está disponível para explorar com a União Européia (UE) ou com Portugal a possibilidade de uma cooperação trilateral com a África, segundo informações do ministro chinês das Relações Exteriores, Yang Jiechi. O chanceler chinês, que esteve em visita oficial em Portugal, frisou por outro lado que a China e a UE "devem trabalhar em conjunto" para combater e ultrapassar "os efeitos negativos" da atual crise econômica mundial.

“A China mantém uma atitude aberta para realizar a cooperação tripartida entre a China, África e terceiras partes, seja um país de outra região ou uma organização internacional (…) A parte chinesa tem disposição para explorar junto com Portugal as possibilidades dessa cooperação tripartida”, disse o ministro chinês numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo português, Luís Amado.

O ministro chinês apontou a necessidade de qualquer cooperação tripartida "respeitar as vontades dos países africanos, que devem chegar a um consenso sobre a forma e os princípios" dessa cooperação e defendeu que ela deve "começar pelos assuntos mais fáceis".

Amado, por sua vez, abordou a importância de uma tal cooperação tripartida entre a China, África e a União Européia, citando que essa perspectiva esteve no espírito da organização das cúpulas com África e com a China na última presidência portuguesa da União Européia e se mantém prioritária no trabalho para a definição da agenda estratégica UE-China.

"Portugal tem valorizado muito o reforço das relações entre a Europa e África (…) para fortalecer o relacionamento econômico, comercial, político e estratégico entre os dois continentes", disse Luís Amado, acrescentando que, nessa perspectiva, valoriza uma convergência trilateral "para promover a mais rápida inserção do continente africano na economia global e no sistema internacional".

O ministro chinês falava a propósito da viagem européia que o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, prevê até final de janeiro a vários países, visitas que disse terem por objetivo "promover o conhecimento mútuo e a confiança mútua para aumentar o consenso estratégico e intensificar cooperação". Entre 27 de janeiro e 4 de fevereiro Wen Jiabao deve visitar Bruxelas, Berna, Berlim, Madrid e Londres, menos Paris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend