Construtora lusa aposta na formação profissional em Angola

Da Agencia Lusa

A formação profissional de angolanos para integrar as empresas da construtora portuguesa Mota-Engil no país africano é uma das apostas da empresa para crescer neste mercado.

Em entrevista à Agência Lusa, o presidente da comissão executiva da empreiteira, Jorge Coelho, disse que a Mota-Engil "já tem tudo preparado" para a criação de um centro de formação profissional que terá três cursos, envolvendo uma centena de pessoas.

Paralelamente a esta iniciativa, ainda sem data para começar suas atividades, a construtora vai iniciar, em fevereiro de 2009, um curso profissionalizante para portugueses e angolanos, em parceria com a Universidade Católica de Portugal.

Coelho declarou que o objetivo da aposta na formação de angolanos pressupõe a substituição gradual dos mais de 600 expatriados portugueses que o grupo tem em Angola em um universo de 5.000 trabalhadores.

O presidente da comissão da Mota-Engil explicou que o mercado angolano "tem um peso muito importante para o grupo", que atua em Angola há mais de 60 anos na área de engenharia e construção civil, embora não tenha revelado o volume de negócios no país.

O grupo português também iniciou atividade em outra área, a de meio ambiente e serviços, em parceria com o Banco Privado Atlântico (capitais angolanos), com a criação da empresa Vista, que já iniciou a sua atividade de recolhimento e tratamento de resíduos.

Angola, Maláui, Moçambique, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe são os países onde o grupo está presente. "Mas pretendemos ter presença em outros países africanos", afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend