Angola pode receber 214 milhões de euros do Acordo de Cotonou

De Portugal Digital

Angola poderá receber um apoio financeiro estimado em 214 milhões de euros, no âmbito do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED), a ser concedido no quadro do Acordo de Cotonou – que vincula os países da África, Caraíbas e do Pacífico (ACP) e a União Européia.

O anúncio foi feito esta semana, em Luanda, pela ministra angolana do Planejamento, Ana Dias Lourenço. O financiamento faz parte da programação financeira plurianual 2008-2013.

O Acordo de Cotonou tem como objetivos a redução da pobreza, promoção do desenvolvimento sustentado e a integração dos países ACP na economia mundial, bem como contribuir para a paz e segurança e ainda promover um ambiente político democrático estável. Assinado a 23 de junho de 2000 em Cotonou, Benin, o acordo regula a relação ACP-UE até 2020, abrangendo mais de 100 estados.

BNA e USAID assinam acordo O Banco Nacional de Angola (BNA) e a Agência do Governo dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) realizaram na sexta-feira, dia 19 em Luanda, a cerimônia de reconhecimento formal do Acordo de Concessão de Âmbito Restrito entre as duas instituições.

Segundo o BNA, o acordo terá a contribuição da USAID no valor de US$ 1,25 milhão de dólares e visa promover a expansão do setor financeiro, sobretudo o bancário, bem como facilitar o acesso ao crédito. O entendimento financeiro é o primeiro desta natureza celebrado entre os governos de Angola e dos Estados Unidos.

São Tomé quer reforçar cooperação Já São Tomé e Príncipe quer mais investimentos angolanos no país. Durante escala técnica no aeroporto de Luanda, em viagem para Lisboa, o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Tomé Vera Cruz, voltou a apelar à participação do empresariado angolano no desenvolvimento das ilhas.

“Gostaríamos de ter uma atividade empresarial forte, (…) de vermos alguns empresários angolanos envolverem-se no processo de desenvolvimento da São Tomé e Príncipe, em áreas a identificar”, disse. O primeiro-ministro são-tomense reafirmou também o interesse em reforçar a cooperação com Angola nas áreas da Comunicação Social, Relações Externas, Saúde, Educação e Recursos Naturais.

Os setores dos petróleos, transportes, finanças, bancas e agricultura apresentam-se como destaque no relançamento da cooperação econômica entre Angola e São Tomé e Príncipe que inclui, entre outras áreas, hotelaria e turismo, cultura, obras públicas, justiça e comunicação social. A última reunião da Comissão Bilateral mista entre os dois países realizou-se em novembro de 2007, em Luanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend