Presidente visita Açores, palco do início das comemorações do Dia de Portugal em 2018

Marcelo Rebelo de Sousa (C) acompanhado pelo ministro da Defesa, Azeredo Lopes (E) fala aos jornalistas na Base Aérea nº4 (Base das Lages) na Ilha Terceira nos Açores. 26 de outubro de 2017. MIGUEL A.LOPES/LUSA

Mundo Lusíada
Com agencias

As celebrações do Dia de Portugal em 2018 vão começar nos Açores, prosseguindo depois junto das comunidades portuguesas nos Estados Unidos, segundo anúncio do Presidente português durante visita ao arquipélago.

O chefe de Estado afirmou que este é um momento de “reencontro que atravessa o Atlântico entre Portugal e os Estados Unidos da América, que culminará no Dia de Portugal celebrado nos Açores, e depois junto das comunidades portuguesas – leia-se, sobretudo açorianas -nos Estados Unidos da América”.

Na visita que fez em junho às ilhas dos grupos central e ocidental dos Açores, o Presidente da República já tinha anunciado que no próximo ano o 10 de Junho seria celebrado junto das comunidades portuguesas nos Estados Unidos, e na altura o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, manifestou a expectativa de que a data fosse também celebrada na região.

Localização única
Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que o “país está a olhar mais para o espaço” e considerou que “deve tirar proveito da localização única dos Açores” nesta matéria.

“[O país] está a olhar mais para o espaço, mas não é só isso, é o país está a tirar proveito da localização única dos Açores”, afirmou à agência Lusa Marcelo Rebelo de Sousa, depois de visitar a Estação Geodésica Fundamental da ilha de Santa Maria, uma das quatro infraestruturas que integram a Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas e Espaciais (RAEGE), no primeiro dia da deslocação.

Trata-se de uma infraestrutura com tecnologia de ponta e única no país, cujo equipamento permite a recolha de dados para estudos sísmicos, georreferenciação, navegação, vigilância e alerta de riscos naturais, relevantes para áreas como a indústria aeroespacial ou proteção civil.

Das quatro infraestruturas que irão integrar a RAEGE, as estações de Santa Maria e de Yebes, em Guadalajara, Espanha, estão operacionais, sendo que as estações geodésicas das Flores e das Canárias estão em fase de projeto, sendo expectável que se encontrem em início de construção a partir de 2018.

Além da estação da RAEGE, o ‘cluster’ aeroespacial dos Açores integra outras infraestruturas espaciais importantes, como a Estação de Rastreamento de Satélites de Santa Maria, a primeira estação da Agência Espacial Europeia em território português e uma das primeiras estações da rede de estações ESTRACK, com a capacidade de fazer rastreio de lançadores de satélite, e que, desde 2009, também é usada para observação da Terra, e a Estação do Galileu, que monitoriza a qualidade do sinal e o posicionamento dos satélites Galileu em órbita da Terra.

Autonomia regional
O Presidente da República elogiou na quinta-feira à noite o “equilíbrio prudente” com que a autonomia regional portuguesa se foi aprofundando, e considerou que contrasta com outros casos de países próximos, sem dar exemplos. Marcelo Rebelo de Sousa falava no Palácio de Sant’Ana, em Ponta Delgada, antes de um jantar oferecido pelo Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, onde se declarou “apaixonado” pelos Açores.

O chefe de Estado lembrou que, como deputado constituinte, votou a Constituição da República Portuguesa de 1976 “que consagrou a autonomia também dos Açores”, e que mais tarde participou, “ao menos indiretamente, em processos de revisão constitucional como o de 1997, aprofundando a autonomia”.

O Presidente encontra-se nos Açores desde quarta-feira e ficará na região até sábado, para visitar as duas ilhas do grupo oriental, Santa Maria e São Miguel, completando assim o périplo que fez em junho pelas outras sete ilhas do arquipélago.

Nesta sexta, cerca de uma centena de professores esperava o Presidente na Ribeira Grande, São Miguel, no segundo protesto de docentes que Marcelo Rebelo de Sousa teve na visita às ilhas do grupo oriental dos Açores. Marcelo Rebelo de Sousa acabou, como sucedeu em Santa Maria, a cumprimentar todas as pessoas que o esperavam na concentração.

Os Açores, com 2,5% do território nacional, são responsáveis por mais de 30% do leite e 50% o queijo produzido em Portugal. Por isso, o presidente visitou a fábrica da Unileite, no concelho de Ponta Delgada, onde brindou com leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend