Panificadores de Santos comemoram data anual com atração de Vila Real

Dia do panificador foi comemorado pela União das Empresas de Panificação com o Grupo de Cantares “ALÉU”, de Vila Real, Tras-os-Montes em animada “Noite do Queijo e Vinho”

Por Odair Sene Mundo Lusíada

Fotos: Mundo Lusíada

>> Os diretores da Unepa reunidos para o corte do bolo em confraternização que reuniu cerca de 400 convidados. Ao lado >> A UNEPA ofereceu a apresentação especialíssima do Grupo de Cantares ALÉU, formado por funcionários da Câmara Municipal de Vila Real, Tras-os-Montes (Portugal).

O salão da Sociedade União Portuguesa de Santos esteve mais uma vez tomado na noite de sexta-feira, dia 25 de julho por um público formado por panificadores da região, na grande maioria de origem portuguesa.

A confraternização foi promovida pela UNEPA (União das Empresas de Panificação e Afins da Baixada Santista), para a comemoração ao “Dia do Industrial da Panificação”, ou mais popularmente “Dia do Panificador”, comemorado oficialmente dia 8 de julho.

Com 180 padarias associadas, a UNEPA, entidade representativa dos empresários do setor, com 10 anos de existência, é presidida atualmente por Antonio de Oliveira Lopes, tendo como vice-presidente o Alberto de Pinho. Sua principal meta é dar assistência aos proprietários associados e fortalecer o setor, que tem também alguns supermercadistas. A entidade com sede na própria cidade de Santos, conta com uma diretoria formada por 12 pessoas, sendo presidente, vice, diretores, secretários, e tesoureiros, formando com isso uma equipe de trabalho que representa as 180 casas afiliadas.

E não poderia faltar a atração portuguesa numa festa tradicionalmente de raiz lusitana. Assim, a diretoria da UNEPA ofereceu aos associados a apresentação especialíssima do Grupo de Cantares ALÉU, formado por funcionários da Câmara Municipal de Vila Real, Tras-os-Montes (Portugal).

Com cerca de 400 pessoas presentes, o evento teve apoio de diversas empresas fornecedoras que atenderam as necessidades e apoiaram a categoria nesta data anual. A Noite do Queijo e Vinho foi farta na mesa abarrotada de pães, doces, frios e muitos tipos de queijo, além do bom vinho português. Já no palco muita música ao vivo com o músico Newton Zago e sua eclética seleção. A apresentação do evento foi do inconfundível Vasco de Frias Monteiro (que é diretor da União Portuguesa e um dos que apoiaram a estadia dos visitantes trasmontanos). Nas mesas, em meio a muitos empresários, algumas autoridades como do presidente da Beneficência Ademir Pestana (vereador na cidade) e do vice-cônsul de Portugal em Santos, Dr. Rogério dos Santos Vieira.

O Grupo de Cantares “ALÉU”, de Vila Real esteve por uma semana na baixada “aos cuidados” do Antonio Lopes, do Vasco Monteiro e do Alberto de Pinho (entre outros). Depois o grupo partiu para São Paulo, onde se apresentou (no sábado) na Casa de Portugal, no domingo retornou a Santos para atuar no Tricanas de Coimbra, depois seguiram para apresentação na Câmara Municipal de Suzano (na grande São Paulo), na seqüência: Campos do Jordão e finalmente no Rio de Janeiro onde tinham apresentação na Casa de Tras-os-Montes e Auto Douro do Rio.

Junto ao Aléu estava o Engenheiro Domingos Madeira Pinto (PSD), vice presidente da Câmara de Vila Real e José Hermano Machado, chefe de gabinete da Câmara. Veja na página XX entrevista concedida ao Mundo Lusíada por Madeira Pinto sobre a digressão do Aléu ao Brasil.

Na festa da Unepa, durante a atuação do Aléu, o apresentador Vasco Monteiro chamou toda a diretoria da entidade para, à frente de todos, trocarem mimos com os visitantes ilustres. Especialmente com os representantes do poder público responsáveis pelo grupo que é formado por funcionários da Câmara. Usaram da palavra, o Antonio Lopes, da Unepa, José Duarte de Almeida Alves, presidente da Sociedade União Portuguesa, o vice-presidente da Câmara de Vila Real, Domingos Madeira Pinto, o vereador santista Ademir Pestana, presidente da Beneficência Portuguesa, e falou também o vice-cônsul Rogério Vieira.

Antonio Lopes, agradeceu a presença de todos, do apoio recebido dos fornecedores, agradeceu a vinda do Grupo Aléu ao Brasil e ressaltou a importância do setor estar unido buscando o fortalecimento. O presidente da SUP, José Duarte, que agraciou Madeira Pinto com uma peça de acrílico; destacou em sua fala que a qualidade cultural do grupo vindo de Portugal “não foi bem percebida” pelos presentes. Segundo ele, faltou um pouco de silêncio para ouvir e perceber o nível cultural do grupo. Ademir Pestana por sua vez lembrou que seus avós vieram de Vila Real e se mostrou muito feliz em ter recebido os visitantes na Beneficência Portuguesa, dizendo que o vice-presidente da Câmara citou a entidade de saúde como sendo “a mais representativa da baixada”. O vice-cônsul Rogério Vieira parabenizou o grupo visitante e a Unepa pela promoção do evento.

Ao Mundo Lusíada, José Duarte explicou em detalhes o motivo da crítica. “As músicas têm que ser sentidas, chegar ao nosso coração, não como o barulho que estava (…) Eles não usam microfones, porque isso é importante, é cultura portuguesa. O Cantares do Aléu toca no coração só para quem ouve, é como o fado, a gente ouve e sente, retrata a música de raiz”, disse.

Após a solenidade e apresentação do grupo teve corte do bolo comemorativo com a diretoria da Unepa e apresentação dos músicos Newton e Nilson Zago com variadíssimo repertório. Os convidados dançaram até altas horas. Tanto que a festa se estendeu para a madrugada de sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend