O 10 de Junho na Escola Portuguesa de Santos

Por Odair SeneMundo Lusíada

Mundo Lusíada

 

A Escola Portuguesa de Santos preparou uma comemoração para o 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Com a presença de diretores e do cônsul-honorário de Portugal em Santos, Armênio Mendes, o evento contou com uma apresentação especial das crianças com músicas portuguesas especialmente ensaiadas pelas orientadoras da instituição que ensina crianças carentes da região.

Ernesto Vieira, secretário da instituição, abriu a solenidade agradecendo a presença de todos, e passando a palavra para o cônsul-honorário de Portugal. Armênio Mendes, que abordou a importância da data, citando a obra dos portugueses ao descobrir e manter o território brasileiro. “Portugueses e brasileiros, somos iguais. Temos coragem, somos abnegados, acreditamos e por acreditar nós conseguimos alcançar nossos objetivos”, disse o cônsul-honorário exemplificando com o Presidente da República, Lula da Silva. “Um homem que começou como torneiro mecânico, acreditou um dia em ser presidente do Sindicato, acreditou um dia que seria presidente do Partido dos Trabalhadores, e acreditou um dia que chegaria à presidência do Brasil, só ele acreditou e ele está lá, felizmente para todos nós está desenvolvendo um bom papel”, afirmou Mendes, citando um “mesmo espírito” de portugueses e brasileiros. “Foi com esse espírito que nós nos espalhamos pelo mundo, fincamos a bandeira portuguesa em tantos países, e foi com este espírito que nós voltamos a reabrir a escola portuguesa”.

Ao Mundo Lusíada, Armênio Mendes contou sobre a luta em reabrir a Escola Portuguesa de Santos, numa época em que muitos desejavam que a instituição permanecesse fechada.

“Hoje, ao chegar aqui, fui remetido há 25 anos, quando a Escola Portuguesa estava fechada, e já vinha fechada há 7 ou 8 anos, e nós chamamos alguns portugueses que conosco reverteram essa situação, até de briga pessoal porque tinha quem não quisesse a escola reaberta. E nós, naquela época, pressionamos, ameaçamos ir à justiça, e hoje sentimos este orgulho de vermos 168 crianças recebendo alimentação e ensino”, afirmou Mendes.

A instituição atende crianças carentes, na faixa etária de 03 à 07 anos, de regiões como do centro da cidade, Vila Nova e bairro do Paquetá. Neste dia, elas fizeram uma apresentação especialmente ensaiada para o cônsul-honorário, com a canção “Sou português e brasileiro”. Armênio Mendes ficou emocionado com a homenagem e fez questão de agradecer as professoras pelo trabalho realizado.

 

Para o presidente da instituição Antonio Rodrigues dos Reis, o Toninho Reis, a Escola Portuguesa é uma das únicas em Santos a comemorar o 10 de Junho anualmente. “É o dia da raça, é o dia de Camões, quem praticamente instituiu a língua portuguesa, então é em homenagem a ele. E acho que em Santos é a única entidade que presta homenagem ao dia dele todos os anos. Até para que as crianças se encontrem com este momento cívico e amanhã eles possam lembrar desta data”, disse.

“É muito gratificante, nós não fazemos em troca de nada. O que nós fazemos pelas crianças é com um desprendimento tal, nós somos simplesmente um instrumento de Deus, Ele que nos dá esses caminhos de maneira que os maiores beneficiados sejam as crianças”, diz o presidente que forma uma diretoria de seis integrantes, os mesmos que alternadamente presidem a Escola Portuguesa há 24 anos. “Tentamos levar a escola sempre com muita dedicação”, afirma Toninho Reis, elogiando ainda o trabalho e a dedicação das professoras. “As tias são muito dedicadas e fazem tudo com muito amor, elas se doam às crianças também. Então é muito gratificante para todos nós”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend