Grupo da Casa de Portugal de São Paulo comemora 46 anos com coirmão do Paraná

Por Vanessa Sene

Em 5 de outubro, o Grupo Folclórico da Casa de Portugal de São Paulo comemorou aniversário de fundação com uma grande festa na capital paulista, recebendo amigos do Paraná.
A Casa de Portugal esteve cheia, e também aberta para todos os componentes de grupos folclóricos de São Paulo, o que possibilitou reunir diversos folcloristas para a noite de aniversário. “Nós liberamos a entrada para os grupos folclóricos para vir prestigiar o Grupo Folclórico da Casa de Portugal e o grupo de Maringá. Tem que ser assim, folclore é estarem todos juntos” disse o diretor Ernesto Lemos.
A noite foi aberta com a tocata da casa, e muita dança entre os presentes. Depois, o grupo aniversariante abriu as apresentações, seguido pelo Grupo Folclórico Os Lusíadas de Maringá. “O grupo de Maringá é nosso parceiro há muito tempo. Estivemos lá no ano passado e agora eles vieram aqui” diz Lemos.
Ernesto Lemos ainda defendeu a vinda de novos componentes e a renovação no folclore. Recebendo muitos integrantes novos, o grupo conta atualmente com 45 componentes. “Os velhos já estão indo embora, o grupo tem que continuar, a casa tem que continuar” diz o diretor que está na Casa de Portugal há 46 anos, mas participa do folclore português desde 1964. Como diretor social da casa, Ernesto pensa em “descansar um pouquinho” sem se ausentar e deixar mais responsáveis pelo grupo. “Sou diretor da CP há mais de 40 anos, já perdi as contas, mas continuo aqui”.
Nesses 46 anos de história, o diretor do grupo falou de novidades. “Estamos com um pessoal novo, com algumas músicas novas também e um novo ensaiador” diz ele sobre o André Fernandes Baptista, que iniciou o trabalho de ensaiador no último mês de julho.
Para a apresentação desta noite, o grupo da casa trouxe músicas novas, para a entrada e outras duas canções selecionadas pelo grupo por votação. O ensaiador André ainda recebeu seus conterrâneos de Maringá, onde dançou por muito tempo. “Eu comecei a dançar folclore no grupo de Maringá, eu sou de lá. No folclore estou há 22 anos, há 15 anos na Casa de Portugal” conta ele, citando a importância da troca de informações entre os grupos coirmãos.
“A minha primeira viagem como componente de grupo foi para a Casa de Portugal pelo grupo de Maringá, na Festa da Cereja lá em 1997. Então sempre tive um carinho pela Casa de Portugal, e quando vim morar em SP não tinha como não participar do grupo” diz o ensaiador que nesta noite também dançou algumas músicas com o grupo do Paraná.
Sergio Santos Oliveira é o ensaiador do Os Lusíadas, grupo que comemorou 50 anos ano passado, e já soma 30 anos de amizade com o Grupo Folclórico da Casa de Portugal. “Nessas andanças da vida, hoje o ensaiador do grupo da casa foi nosso integrante há alguns anos, porque ele e a esposa são de Maringá” contou Sergio.
Segundo ele, a amizade entre coirmãos é uma oportunidade dos integrantes estreitarem laços. “Estamos no interior do Paraná, somos o único grupo do norte do estado porque o outro grupo só está em Curitiba, então nossos jovens tem nesses intercâmbios a oportunidade de conhecer outras pessoas que fazem a mesma coisa que eles. É um pouco diferente da realidade de São Paulo que tem mais grupos folclóricos” finalizou.
O Grupo Os Lusíadas fez uma apresentação com folclore do Alto Minho, com algumas canções de Viana, Ponte da Barca e Arcos de Valdevez. O grupo visitante esteve presente com 38 componentes para a festa, de um total de 46 componentes. Antes de retornarem ao Paraná, eles tiveram no domingo mais um almoço de convivência com o grupo da Casa de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend