Governo vê com bons olhos visita às comunidades, diz Secretário da Madeira

Por Ronaldo Andrade De Santos, para Mundo Lusíada

Ronaldo Andrade

>> Troca de presentes entre o secretário José Manuel Ventura Garcês e o prefeito João Paulo Tavares Papa, durante visita oficial em Santos.

Dia 1º de Julho é especial para os mais de 500 mil madeirenses em vários países do mundo. Trata-se da comemoração oficial do Dia da Região Autônoma da Madeira e Comunidades Madeirenses.

Mas em Santos os festejos foram antecipados para dia 29, em razão da visita do Secretário Regional do Plano e Finanças da Região Autônoma da Madeira, Dr. José Manuel Ventura Garcês, à cidade do litoral paulista. Em São Paulo, Ventura Garcês participou das mesmas comemorações no dia 01, na Casa Ilha da Madeira.

Desde 1976, a Região Autônoma da Madeira é dotada de autonomia política e administrativa, integrante da União Européia, e hoje com um PIB per capita de cerca de 93% na média da UE. Formada por um arquipélago, a região se destaca pelo turismo, devido ao seu clima com temperaturas amenas, e pelo seu vinho conhecido em todo mundo.

Segundo o secretário, a Ilha da Madeira está aberta a oferecer benefícios fiscais, através do Centro Internacional de Negócios da Madeira, para investimentos de brasileiros e de madeirenses radicados no Brasil. “Ganhamos nós e ganham os empresários que passam a ter uma porta aberta para seus negócios no mercado europeu por meio da Madeira”, defendeu.

Em entrevista ao Mundo Lusíada, o secretário Regional do Plano e Finanças da Região Autônoma da Madeira, Dr. José Manuel Ventura Garcês, falou a respeito das comemorações do 32º Aniversário da Autonomia da Região Autônoma da Madeira e da atual situação econômica da Ilha.

Mundo Lusíada: Qual o motivo de sua visita oficial?Enquadra-se nas festas da comemoração do dia da Região Autônoma da Madeira. É um marco extremamente importante para nós madeirenses, porque foi com a autonomia que a Madeira conseguiu dar um salto qualitativo em termos do seu estatuto político e administrativo, dado que a Constituição da República Portuguesa permitiu que os madeirenses assumissem o seu destino. Foi constituído um Parlamento e um governo próprio para melhor atender aos pedidos dos madeirenses. Dado essa importância, o governo também vê com bons olhos visitar suas comunidades, para manter os laços de amizades e as tradições.

ML – Após estes 32 anos, como está a atual situação econômica da Região Autônoma da Madeira?A Região Autônoma da Madeira mantém um clima de estabilidade econômica e social, fruto de um governo próprio eleito pelos madeirenses, em que o partido que está no poder há cerca de 30 anos, com a presidência do Dr. Alberto João Jardim – que é uma pessoa que é acarinhada por todos os madeirenses – tem feito um excelente trabalho de desenvolvimento econômico e social. Antes da autonomia tínhamos um PIB per capita de cerca de 30% da média da União Européia; neste momento estamos com cerca de 93%. Demos um salto qualitativo bastante grande. O povo madeirense está eternamente reconhecido ao presidente.

ML – O governo da Madeira costuma passar a data junto às comunidades madeirenses?Todos os anos, há sempre deslocações ao estrangeiro, às comunidades madeirenses. Este ano o presidente João Alberto Jardim está em Caracas, na Venezuela, pois temos uma grande comunidade no país. O governo faz questão de ser representado nas principais comunidades no dia da Região Autônoma.

ML – Qual o número aproximado de madeirenses que vivem no exterior?Há muito madeirenses a viver no estrangeiro do que na própria terra, principalmente em África do Sul, Brasil e Venezuela. (Segundo o conselheiro das Comunidades Madeirenses, José Narciso Fernandes Inácio, atualmente a Ilha da Madeira possui cerca de 280 mil habitantes, e aproximadamente 560 mil madeirenses e descendentes que vivem no exterior).

ML – Já conhecia o Brasil? Há algum convênio da Região Autônoma da Madeira com a cidade de Santos?Já estive no Brasil de férias, mas essa é a primeira vez em visita oficial e também à cidade de Santos. Em relação a convênios, não me apercebi como isso se desenrola, mas sei que há Câmaras Municipais da Ilha que tem parcerias com algumas cidades brasileiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend