Folclore e gastronomia da Madeira presente na 23ª Festa do Imigrante em museu de SP

Da Redação

Tradicional no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da Imigração, chega a sua 23ª edição, nos dias 9, 10 e 16 de junho.

Na edição deste ano, estarão reunidas tradições e heranças de 50 nacionalidades. Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

O público encontrará 49 expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás, no fim do século 19 e início do 20.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros.

Os workshops de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos, cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo – e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.

Valorizando mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar por exemplo o spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta mil hojas (Chile).

Na oficina de culinária do dia 09, às 12h, Portugal marca presença com o prato Patanisca de Bacalhau. E no dia 16, às 16h, a receita será o famoso Bolo do Caco, tradicional na Ilha da Madeira.

Também no dia 09, o palco do evento recebe às 11h o Folclore E Etnografia Região Autônoma Da Madeira – Grupo Folclórico da Casa Ilha Da Madeira de São Paulo, para apresentação.

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas, amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

Os ingressos podem ser adquiridos nos dias de evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

Serviço
23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend