Folclore e Bacalhau na Festa Luso Brasileira do ABC

Odair Sene,Do Jornal Mundo Lusíada

Mundo Lusíada

ATRAÇÃO >> Grupo de Dança Spazio Indini com vice-presidente Arnaldo Nobre.

A Casa de Portugal do Grande ABC realizou uma grande “Festa Luso Brasileira” no domingo, dia 27 de abril, fechando a semana comemorativa ao 25 de Abril, com muito bacalhau, música portuguesa, público e folclore com Rancho Folclórico Cantares e Dançares do Minho.

O vice-presidente da Casa, Arnaldo Nobre, contou com seus diretores na recepção aos convidados, já que o presidente André Magalhães encontrava-se afastado com problemas de saúde. Quem também esteve ausente foi o vice-financeiro, José de Freitas, em viagem à Portugal.

Diversificando a cultura e os atrativos ao público luso-brasileiro, a Casa de Portugal apresentou ainda o Grupo Dança Spazio Indini, grupo de dança, arte e cultura que apresenta balé clássico, jazz, dança do ventre, flamenco, dança de salão, etc.

O grupo de sete meninas que esteve na casa é coordenado pela professora Ana Lucia, que as apresenta em eventos em diversos estados brasileiros. Para ela, o público luso-brasileiro tem condição de prestigiar a dança clássica. “Vou propor o retorno para uma próxima vez, para mostrar dança a caráter, italiana e portuguesa, bem ao estilo europeu”, disse.

A diversidade artística com o balé clássico teve oferecimento do Benjamin Nascimento Alves, da INCA Pães e Doces e do Laticínio São João, além do candidato do PSDB de São Bernardo, Orlando Peixoto.

A atração portuguesa subiu ao palco logo após o almoço. O Rancho Folclórico Cantares e Dançares do Minho esteve presente sob comando do dedicado José Pisco, presente com esposa Albertina (a popular Tina), filhos, netos e seus pares folcloristas. No palco o astuto Manuel Caldas apresentou o grupo com seleções para o público dançar e outras para o público aplaudir a belíssima apresentação das modas portuguesas.

Casa agora é “OSCIP”Segundo divulgou o Conselho da Comunidade, a Casa de Portugal do Grande ABC mudou sua situação cadastral junto aos órgãos públicos. Na sua nova definição a entidade passa a ser uma “Organização da Sociedade Civil de Interesse Público” (OSCIP), na qual, além de atestar a idoneidade e elevados propósitos da entidade, também a credencia a receber recursos públicos, firmar parcerias, receber doações com incentivos fiscais, entre tantos outros benefícios.

Segundo André Magalhães, presidente da entidade, a Casa de Portugal é uma Associação Cultural e Beneficente muito atuante na região, pois desempenha o papel de fortalecer a ligação entre portugueses e brasileiros, divulgando a cultura portuguesa e luso-brasileira na região, sem contar que apóia e está sempre presente nas ações que envolvem entidades beneficentes.

Magalhães faz questão também de ressaltar que a Casa mostra-se ativa nos atos públicos na região, em especial no município de Santo André, cujo fundador foi o português João Ramalho. E conclui: “conseguir o registro da ‘OSCIP’ revela o conceito e a ética que ela expressa junto a nossa comunidade e às demais que vivem na região”.

A OSCIP é a mais nova qualificação que pode ser obtida pelas organizações sem fins lucrativos. Ela foi criada em 1999, pela Lei nº 9.790, a com a participação de entidades da sociedade civil que viam a necessidade de uma reforma no marco legal do Terceiro Setor, que não possuía leis adequadas a suas demandas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend