Festa do Centenário da Portuguesa com fados, casa cheia e Roberto Leal

Momento de homenagem para Armênio Mendes (em memória) representado pela esposa Dna. Celeste Veríssimo, pelo filho Alex Mendes. Confira Galeria >>

Por Odair Sene- A nova direção da Associação Atlética Portuguesa Santista, comandada agora pelo recém eleito presidente Emerson Coelho na diretoria, e pelo Dr. Alexandre Ramos Antunes na presidência do Conselho, queria marcar a noite comemorativa do centenário como uma “noite inesquecível”.

Segundo o que se viu e se ouviu do público presente, eles conseguiram mais que isso, 18 de novembro de 2017 foi uma noite na qual todos externaram aquele sentimento de se comemorar os cem anos de história, mas antes de tudo um século de paixão pelo clube fundado em 20 de novembro de 1917 por trabalhadores de uma pedreira (quase todos portugueses), que queriam jogar futebol e recordar a “Pátria Mãe”, então fundaram o clube.

Cem anos mais tarde, no reformado salão (com piso novo) totalmente lotado, principalmente pela comunidade portuguesa da baixada, mas também com presenças importantes: como ex-presidentes do clube (um deles é Orlando Tavares), dirigentes de outras associações da baixada, autoridades locais, imprensa local e luso brasileira, patrocinadores e muitos convidados.

A festa foi para um jantar; e foi com muita música portuguesa com o trio de fados: Tiago Filipe, Elyana Martins e Glória de Lourdes. A noite também foi de homenagens levadas a cabo no palco pelo presidente Emerson Coelho ao lado do presidente do Conselho Alexandre Ramos Antunes.

Nas homenagens prestadas, destaque para o Sr. Joaquim da Rocha Brites, para o Sr. Armênio Mendes (em memória) representado pela esposa Dna. Celeste Veríssimo, pelo filho Alex Mendes, presente com a esposa Andrea Ruzsicska. E ainda homenagem para o Sr. João Simões (ex-presidente do Conselho). O evento foi fechado com o show de um dos maiores ídolos da música portuguesa, Roberto Leal.

Por tudo que foi o evento, o presidente Emerson Coelho disse ter se impressionado com o carinho da comunidade e a noite ser tão especial. “Não imaginei que seria assim, está lotado aqui, está surpreendente tudo isso, até tivemos que pedir para que as pessoas não viessem porque os convites foram todos vendidos, com duas semanas de antecedência, e tivemos até algumas dificuldades para atender todo mundo, sempre tem mais um amigo, e mais um, enfim, temos aqui 500 pessoas e se tivesse espaço teríamos mil pessoas, mas não dava, portanto ficou bem marcado nossos 100 anos, com os fadistas e depois o Roberto Leal, isso tudo nos proporcionou uma noite perfeita”, disse ele ao Mundo Lusíada.

Em entrevista exclusiva, Emerson Coelho fala das dificuldades, das alegrias e do desafio que tem pela frente

Ao Mundo Lusíada o presidente da Portuguesa Santista, Emerson Coelho falou da responsabilidade de comandar um dos eventos mais importantes da história do clube: a festa do centenário. “É de muita responsabilidade mas nós já estamos acostumados com os eventos realizados aqui, com nosso Rancho Folclórico, então foi meio que uma continuidade”, disse ele revelando que, o que não é muito fácil e a administração do clube como um todo, por conta do produto “futebol” (que cria muitas expectativas) e por conta de toda a parte associativa: o presidente responde por, absolutamente tudo o que acontece em suas dependências.

“Futebol, o associativismo, patrocínios, montar time, comissão técnica, complica um pouco, mas estamos levando”, disse ele completando seu primeiro mês de gestão, com respaldo: “eu tenho uma diretoria batalhadora, que trabalha, interessadíssima em tudo que está acontecendo, e todos estão fazendo muito, e eu confio muito nesta equipe”, referiu o mandatário lembrando que na Portuguesa Santista as coisas sempre foram assim, “com muita entrega, suor e lágrimas”. “E pretendemos que continue assim por mais cem anos”.

Emerson Coelho tem partes distintas do clube para administrar, encaradas por ele como “desafios”. Como a parte esportiva com o futebol e várias outras modalidades, o social com gente que pode utilizar dependências e piscinas como áreas comuns do clube, e ainda um outro lado que é ligado ao associativismo luso brasileiro, com a cultura folclórica, várias outras entidades co-irmãs, dirigentes associativos e eventos. O presidente sabe que isso vai gerar muitos desafios e cobranças, mas diz confiar na diretoria montada e que conhece muito bem o clube e todos sabem os pontos mais sensíveis.

“A cobrança é sempre muito grande tanto no futebol quanto no social, e o grande desafio dessa gestão é conseguir unir as duas e fazer as duas andarem, e pelo que estamos fazendo já na parte social, já neste evento dos 100 anos, está dando certo. Na parte do futebol, o projeto é muito, muito grande, para tentar fazer a Portuguesa reocupar o lugar onde ela já esteve e este projeto já teve início e nós estamos com nossa equipe montada e trabalhando nisso”.

Emerson Coelho terá em 2018 seu clube disputando a Série A3, tendo como meta subir para a A2 já em 2018. Ele quer ser o presidente que vai entregar o time em 2019 na Série A1. “É nossa meta, não vai ser fácil, não temos ilusão, mas temos muito apoio de muita gente, inclusive da torcida, então vamos tentar e a Portuguesa vai trilhar o caminho da vitória”.

Parcerias com co-irmãos – O presidente da Portuguesa não descarta possível estreitamento (futuramente) com o Santos FC. “É possível, o Santos é um co-irmão, estamos na mesma cidade, tem também o Jabaquara, todos estamos na mesma cidade e é possível sim. O Santos já nos ajudou e acho que é só sentar e conversar, porque futebol é negócio, não é mais como antigamente, que era mais romântico, sendo bom para ambos, sendo bom para nossa cidade, ótimo”, disse ele reforçando que é só questão de “conversa”.

Projeto da Arena com Grupo Mendes está de pé – Emerson Coelho disse que está de pé o projeto com o Grupo Mendes que pode futuramente levantar uma Arena multiuso no local. “Tudo certo, o Conselho votou pelo projeto do Grupo Mendes, mas ainda depende daquela questão da área que é da União, e o Grupo Mendes se disponibilizou para resolver este assunto em Brasília, junto ao Governo Federal. Isso resolvido, nós vamos ter uma arena aqui para 12 mil pessoas, estádio novo, um shopping que é a contra-partida do Grupo e uma sede social nova. Isso é um projeto para três a cinco anos para acontecer. Sabemos muito bem do comprometimento do Grupo Mendes, isso existe conosco, porém dependemos de uma área, se conseguirmos a área, a Portuguesa estará num contrato para uma obra muito grande para um projeto espetacular. Eu acredito muito no Grupo Mendes, nas pessoas, no Paulo, no Alex, eles estão aí vão continuar, porque o Grupo foi construído dessa forma, vai prosseguir, e vamos buscar o melhor para ambos”.

Parceria com Alexandre Antunes – A diretoria da Portuguesa está coesa com o Conselho e isso, segundo o presidente Emerson Coelho faz muita diferença para que as coisas andem da melhor forma. “Olha, isso acontece como pouquíssimas vezes aconteceu na história da Portuguesa. Hoje a gente conseguiu a união a Presidência Executiva com o Conselho Deliberativo. Nós hoje temos essas duas forças, unidas pelo mesmo ideal, trabalhando juntas, fazendo reuniões juntos para que as coisas deem certo, porque se cada um puxar para um lado não vai dar certo, então estamos conseguindo isso com o Alexandre Antunes, que acima de tudo é um grande amigo, particular, eu acredito muito nele, e sei que ele pensa da mesma forma. E salvo a economia do país cair muito, se depender dos poderes do clube, é para ir sempre em frente, para fazer com que a Portuguesa volte a ser um clube grandioso”, disse ele finalizando a entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend