Festa de Nossa Senhora do Monte na Casa Ilha da Madeira teve presença do Cônsul

Por Odair Sene

A Festa de Nossa Senhora do Monte acontece anualmente na Casa Ilha da Madeira de São Paulo. Este ano, no domingo 19 de agosto, contou pela primeira vez com a presença do cônsul geral de Portugal em São Paulo, Paulo Lourenço, que encerrou seu mandato na capital paulista em agosto.

“Uma coisa que eu gostava de ter tido era ter 48 horas por dia para poder ir a todos os lugares que gostaria de ter ido”, comentou ao Mundo Lusíada. Paulo Lourenço disse que esteve frequentemente com o presidente da Casa Ilha da Madeira, Manuel Dias Bittencourt, como também com o presidente da Casa dos Açores de SP, Marcelo Guerra, acabou por deixar para “mais tarde” uma visita à sede da entidade.

“Mas antes de terminar o meu mandato, não podia deixar de visitar a sede, aproveitei este gentil convite da casa para poder fazer uma visita presencial e também poder prestigiar esta casa, que é muito importante e representativa. A comunidade madeirense é uma das mais numerosas comunidades luso-brasileiras no estado de São Paulo, e não podia simplesmente deixar de vir aqui. É um enorme gosto estar aqui, nesta que é uma ocasião bonita, típica da comunidade da vida da comunidade madeirense”, disse Lourenço citando uma “promessa” em visitar a casa, que é “na verdade um dever que tem qualquer cônsul-geral de Portugal, por isso sinto-me muito feliz por estar aqui”.

A típica festa de Nossa Senhora do Monte da Casa Ilha da Madeira contou com celebração de missa, além dos grupos de folclore da casa, outras atrações musicais e comidas típicas portuguesas. Em uma breve solenidade no palco, autoridades locais fizeram uso da palavra, como o delegado Olim (candidato a deputado), além do cônsul de Portugal, que agradeceu o carinho que sempre teve da comunidade madeirense.

Em mais um ano presente na entidade, o padre Edmundo da Mata rezou a missa campal neste domingo e passou sua mensagem religiosa. “Sempre digo a todos que o principal da vida dos filhos de Deus é ser amigo de Deus, isto é, os filhos de Deus participarem da missa aos domingos, cada um na sua comunidade. Aqui temos uma trajetória, a primeira etapa da nossa vida, e depois na eternidade. Como nossos pais madeirenses, religiosos, nos ensinaram”.

Madeirense natural de Gaula, concelho de Santa Cruz, o padre chegou ao Brasil com quatro anos de idade, e participa na Casa Ilha da Madeira há mais de 40 anos. “Honra e glória ao povo da Ilha da Madeira e descendentes, que sejam dignos deste nome”, finalizou.

A entidade prosseguiu para uma tarde inteira de festa e descontração. Muita música portuguesa com o cantor Roberto Gomes, e muito folclore e alegria com os grupos folclóricos Adulto e Infanto Juvenil da casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend