Festa da reconstrução mostra a “força” do clube Camponeses de Portugal

Por Igor Lopes
Para Mundo Lusíada

Apresentação do grupo folclórico durante o evento. Foto: Ígor Lopes

O clube Camponeses de Portugal realizou, no dia 17, na sua sede campestre, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, a festa da reconstrução. O motivo do encontro foi celebrar a força dos membros do clube e o apoio de várias pessoas que ajudaram a diretoria do Camponeses a ultrapassar o trauma de um incêndio que deflagrou poucos antes da festa do dia das mães,em maio. Para marcar o fim das obras e a reinauguração da sede campestre, o clube levou a cabo um evento que acabou mobilizando cerca de 250 pessoas.

Tudo estava pronto para ser mais uma comemoração em prol do dia das mães, no dia 6 de maio. Mas, poucas horas antes da hora programada para começar a festa, um incêndio jogou um balde de água fria nas expectativas da diretoria do clube, que esperava mais um grande dia de alegria.

Segundo membros da diretoria, o excesso de lenha na churrasqueira fez com que chamas atingissem o telhado da sede, o que acabou consumindo metade da cobertura do clube, composto de telhas ecológicas. Por sorte, não houve feridos. Embora a diretoria do clube não revele o valor, o prejuízo financeiro foi alto. Mas, com o apoio de amigos, as obras foram feitas em apenas uma semana, já que vários trabalhadores se envolveram nessa empreitada.

“O meu sentimento foi de tristeza no momento. Depois, fiquei feliz com o apoio de tanta gente. Emocionei-me porque não sabia que tinha tantos amigos. Quanto ao episódio, toda a diretoria ficou abalada”, revela o presidente do clube, Manuel Coelho.

Dia de muita animação

O reencontro com o público foi num domingo, no último dia17. Adata distante nada atrapalhou a celebração do dia das mães. E ainda rendeu verba para “tapar” o rombo deixado no orçamento da casa durante as obras de recuperação do telhado atingido pelas labaredas.

“A festa de domingo, que chamamos de festa da reconstrução, foi um apelo que fizemos aos nossos amigos e sócios do clube para que nos ajudassem a arrecadar alguns fundos para cobrir a despesa da reconstrução do local. A festa foi maravilhosa. Todos os amigos atenderam o nosso apelo”, conta Manuel Coelho.

Numa tarde inspiradora, mais de duas centenas de pessoas tiveram direito a um almoço reforçado. No cardápio estava a tradicional bucha e churrascão à camponesa, feijão à São Bento e sardinha.  E a dança também deu o ar da sua graça, com a presença de Josevaldo e Trio e sanfonas e sanfoneiros. Houve espaço ainda para a apresentação do rancho folclórico da casa e do rancho mirim João Scalabrini.

“Quero agradecer a todos os meus diretores que foram incansáveis na recuperação do clube”, diz, emocionado, Manuel Coelho.

Passado o susto, o clube já planeja a sua próxima festa, que será no dia 22 de julho, a partir das 11 horas. A sede campestre vai celebrar os 38 anos de fundação do Camponeses de Portugal.

E para deixar tranquilos os que ainda têm receio de visitar ou voltar à sede, o vice-presidente da casa, Manuel Monteiro, deixa claro que “tudo está consertado e devidamente liberado pelos bombeiros”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend