Elos Clube: Não podemos deixar o movimento cair

Mundo Lusíada

Mundo Lusíada

>> Mesa principal contou com os presidentes das unidades Elistas em São Paulo, Baixada Santista e ABC Paulista, além da Governadora do Distrito II Rosmary Correa, e, ao centro, a vice-presidente do Elos Internacional para a América do Sul, Maria Inês Botelho.

Em evento preparado pelo Elos Clube do Grande ABC, no último 17 de julho, a Vice-Presidente do Elos Internacional para a América do Sul, Maria Inês Botelho, afirmou em palestra aos elistas que “não podemos deixar o movimento cair”.

Em razão do Cinqüentenário do Movimento Elista, a Vice-Presidência para a América do Sul preparou uma série de encontros passando pelas unidades elistas com intuito de agregar os participantes, dar sugestões para as atividades e reanimar os elistas. O primeiro destes encontros foi realizado em Mandaguari, no Paraná, seguido de São Vicente, litoral paulista, e em Teresópolis, no Rio de Janeiro.

Depois desta, que contou com o Elos Clube do ABC como anfitrião, eles estiveram ainda em Minas Gerais, para finalização, em passagens que divulgam os 50 anos de Elos Clube, desde a criação do Elos Santos – Cellula Mater pelo Dr. Eduardo Dias Coelho. Uma Convenção Continental, e uma Convenção Internacional em Lisboa, Portugal, também faz parte das comemorações.

A Vice-Presidente do Elos Internacional para a América do Sul, Maria Inês Botelho, esteve proferindo sua palestra em Santo André. Com o tema “Elos, uma realidade presente”, o evento foi transferido da sede do Elos ABC para a Casa de Portugal do ABC, e reuniu cerca de 25 elistas das cinco unidades de São Paulo.

Em sua palestra, Maria Inês Botelho defendeu que o Elos está passando por uma travessia, precisa achar novos caminhos e encontrar parcerias como saídas para aqueles clubes que precisam de ânimo. Neste âmbito, ela sugeriu uma aproximação com a Prefeitura Municipal, com outros clubes como Rotary e Lions, com consulados e associações comerciais.

A governadora do Distrito II, participante do Elos Clube São Paulo Norte, Rosmary Correa, afirmou que os clubes estão trabalhando “autonomamente” e nem se quer conseguiu reunir numa única data os elistas de São Paulo. Segundo ela, o Elos SP Norte, depois de problemas pessoais com os participantes, decidiu suspender suas atividades por este ano. Durante o evento, os participantes também citaram o fechamento do Elos São Paulo, que por falta de continuidade acabou por encerrar suas atividades. A governadora ainda explicou que por questão do período de férias, muitas pessoas estão em viagem e fora do país e não puderam comparecer ao evento.

O público presente ainda elogiou o conteúdo do evento e a explanação da vice-presidente, como uma forma de apoio ao movimento e os aconselhamentos e troca de idéias debatidas. Ao Mundo Lusíada, Botelho, que assumiu em mandato tampão e esteve desde 25 de abril viajando por algumas cidades a fim de reunir os elistas, falou sobre a falta de motivação. Confira os trechos da entrevista:

MOTIVAÇÃO “Nós tivemos um tempo em que houve problemas na condução, as autoridades elistas ficaram um pouco distantes, então acho que houve uma desmotivação. Mas estamos passando pelas unidades no Brasil buscando motivá-los, e eles estão se motivando. Estamos conseguindo resgatar aqueles que estavam mais ou menos parados. Mas há muita unidade elista funcionando muito bem”.

ELOS MORRENDO “Morrendo não está, porque nós temos algumas situações localizadas. O Distrito 4 é pujante, o Distrito 8 caminha 80% muito bem, o Distrito 20 está retomando que eu já estive lá. O Distrito 2, que é Santos, São Vicente e Praia Grande, funciona muito bem. Em São Paulo temos situações localizadas, mas mesmo assim não podemos deixar que essas unidades elistas morram. Mas acho que eles estão retomando o fôlego com esse encontro, se entusiasmaram de novo, a própria governadora Rosmary Correa também se entusiasmou, eu acredito que agora tudo vai ser diferente. E que o Movimento Elista extrapole 60, 70 anos, chegue ao centenário. Nós não estaremos aqui mas outros estarão conduzindo a bandeira do elismo”.

Nº DE ELISTAS “São 23 unidades no mundo. Uma em San Diego, Califórnia, uma em Goa, Índia, uma em Macau, China, nove em Portugal e os demais clubes no Brasil. Mas na realidade, número de elistas não tem. Estamos tentando retomar essas questões, e não são poucos, porque no mínimo, pelo Estatuto do clube determinado pelo Elos Internacional, cada Elos tem que ter 20. Mas primeiro precisamos fortalecer, para depois expandir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend