Comunidade portuguesa recebe 10 mil pessoas no Valongo para 13ª “Festa de Portugal”

Foto Ronaldo Andrade

Mundo Lusíada

Em sua 13ª edição, aconteceu no dia 05 de junho a Festa de Portugal, após duas versões virtuais devido à pandemia, foram montadas 11 barracas no Valongo, região do Centro Histórico de Santos, litoral paulista.

Santistas e turistas puderam passear entre quitutes variados como arroz de Braga, bolinho de bacalhau, bacalhau e sardinha na brasa. Vinhos e licores também não faltaram. Foram 7.200 doces, entre eles toucinho do céu, pastel de nata, travesseiro de Sintra e o famoso pastel de nata (mais conhecido como Pastel de Belém). Todos foram preparados para serem consumidos no local ou levados para casa.

O presidente da Escola Portuguesa, José Augusto do Rosário disse (numa entrevista) sobre o objetivo do evento que é conseguir recursos para a instituição que assiste as crianças carentes de Santos. “Afinal de contas temos lá 120 crianças de famílias de baixa renda que tem quatro refeições por dia, e isso é muito pesado, para além da educação, uniforme, manutenção de uma equipe de 16 funcionários, o que tem um custo alto, por isso fazemos esses eventos, para ajudar na manutenção”.

JOSÉ DUARTE

José Duarte de Almeida Alves disse em entrevista que este evento é dos mais importantes da Comunidade e ainda mais para a escola portuguesa, e afirmou que “é um orgulho podermos apresentar e festejar este Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas”, completando que “vamos continuar a fazer o melhor em prol da comunidade, e de Santos que nos acolheu, e onde nos sentimos em casa, Santos é uma família”.

PREFEITO

Quem também falou sobre o evento foi o prefeito de Santos, Rogério Santos que ressaltou a retomada dos eventos depois dos momentos difíceis causados pela pandemia: “Para mim é um grande prazer porque sou da colônia portuguesa e entendo a história da cultura santista, da cultura brasileira que começa aqui pelo Porto de Santos, não somente pelos portugueses”, disse fazendo referencias a várias nacionalidades que chegaram ao Brasil pelo Porto.
“Manter a tradição, homenagear a comunidade portuguesa da Cidade e fomentar o turismo, fazem parte do objetivo do evento”, destacou o prefeito que é descendente de portugueses.

“É uma festa bastante tradicional que atrai até pessoas de outras regiões. O objetivo é juntar todas as comunidades em volta dessa cultura tão rica que ajudou a formar o nosso País e a cidade de Santos. Hoje é dia de encontros e reencontros, de matar a saudade depois de tanto tempo e celebrar juntos esse momento”, disse o chefe do Executivo, também se referindo ao fim de restrições da pandemia de covid-19.

CÔNSUL DE PORTUGAL

O Cônsul Geral de Portugal em São Paulo, Paulo Jorge Nascimento, disse que estava presente ao evento pela primeira vez, e que ficou surpreso pelo sucesso de público: “Era tudo aquilo que me tinham dito, e eu diria ‘muito mais’ é verdadeiramente uma celebração da comunidade portuguesa, mas é também uma celebração de Santos, é tudo que a cidade é, da sua natureza multi-cultural, mas que tem muito de Portugal”, disse falando que prédios ali na praça que poderiam estar em qualquer cidade litorânea de Portugal.

JOSÉ AUGUSTO

Segundo o curador do evento, José Augusto do Rosário, há cerca de 50 mil cidadãos portugueses na região e 90 mil se considerar também os descendentes. “Santos é uma das cidades mais portuguesas do Brasil e essa comunidade precisa se encontrar e desfilar seu orgulho de ser lusitano. Nada mais apropriado do que a Festa de Portugal, que é uma festa de família, alegre e colorida”.

A Escola Portuguesa atende 120 crianças, com idades entre três e seis anos, da região Central, em período integral. A instituição é mantida com a contribuição de 218 padrinhos e subvenção da Prefeitura, além dos eventos que realiza para completar suas receitas.

Foto Ronaldo Andrade

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: