Comunidade de São Carlos vai oficializar a criação da Casa de Portugal

Por Odair Sene

Em 10 de julho, integrantes da comunidade portuguesa de São Carlos estiveram no Consulado Geral de Portugal em São Paulo, numa reunião com o Cônsul Adjunto Hugo Gravanita, para comunicar oficialmente sobre a constituição de uma Casa de Portugal na cidade do interior paulista.
Ao Mundo Lusíada, o presidente do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo, Dr. Manuel Magno Alves, elogiou a iniciativa. “É extremamente importante o que eles estão fazendo, a constituição da Casa de Portugal de São Carlos, uma casa que será localizada em São Carlos mas terá uma abrangência muito grande, em termos geográficos, por conta das cidades do entorno que não contam com nenhuma instituição portuguesa, e a ideia é que ela abrace toda a comunidade do entorno”.
Após a casa estar constituída, o presidente do Conselho disse que tem o interesse não só que eles se associem mas que façam parte (efetivamente) do Conselho da Comunidade. “O Conselho é o guarda-chuva que abraça todas as casas regionais do Estado de São Paulo, e já fica o convite aqui e será feito o convite formalmente tão logo a casa se constitua, para que participem sim do Conselho”, declarou Magno.
“Eu só posso desejar muita felicidade a esses bravos que estão fazendo essa empreitada, que com certeza terá sucesso, e dizer que o Conselho da Comunidade, no que for possível e de sua competência, estará firmemente apoiando essa empreitada, estão todos de parabéns”, finalizou Magno.
Cotado para ser o primeiro presidente eleito da nova associação portuguesa, o lisboeta Plácido Ferreirinha, comerciante na cidade com seu “Solar dos Portuga”, disse que as deslocações a São Paulo sempre valem a pena. “Foi fantástica essa vinda, como tem sido sempre, eu quero agradecer, em nome da comunidade portuguesa e futura Casa de Portugal de São Carlos, nós fomos extremamente bem recebidos em São Paulo, Dr. Manuel Magno é uma pessoa fantástica que nos proporciona a divulgação e nos permite ser associados deste Conselho, isso muito nos honra”.
Com apoio do Conselho e do Consulado de Portugal, e com “a vontade que trazemos conosco” Plácido declarou que “a Casa de Portugal de São Carlos já é uma realidade neste momento, não tem como voltar atrás, agora é para frente”.
Ainda, agradeceu ao Daniel Lima, André, Paulo, Humberto, Dacier e todos aqueles que estão envolvidos nesse processo. “É de extrema importância porque sozinho eu não consigo, tem que ser todos, e com este sonho comum colocar Portugal em São Carlos”.
O vereador de São Carlos, Daniel Lima, representando a Câmara Municipal da cidade, falou sobre a formalização da casa. “Primeiramente gostaria de agradecer a oportunidade de estarmos dialogando a respeito de algo tão importante que é a nossa raiz cultural portuguesa, como brasileiro e descendente de português. Por uma questão obvia, por toda representatividade e relevância da história e cultura portuguesa para nós brasileiros” disse.
Para o vereador, por conta das raízes portuguesas e sua proximidade com o Plácido, foi um “despertar” para a formulação da lei sobre a Semana Portuguesa em São Carlos aprovada recentemente.
“Conseguimos num breve espaço de tempo, 10 dias, fazermos o projeto de lei e sensibilizarmos o prefeito de São Carlos na promulgação e sancionamento dessa lei. Isso mostra a relevância da cultura portuguesa para nós sãocarlenses e para nós brasileiros. É um primeiro passo, o segundo passo é apoiar politicamente e institucionalmente a Casa de Portugal, onde será um ponto de encontro das pessoas não só dos portugueses e descendentes mas todos aqueles que são simpatizantes da cultura, da culinária, da música, dos valores morais e culturais de Portugal”.
O vereador também agradeceu ao Dr. Magno e Dr. Hugo Gravanita nesta deslocação e disse que outras visitas serão feitas a partir da constituição da casa.
Também participou dos encontros o empresário André Ribeiro, que trabalha com processos de nacionalidade (Ribeiro Assessoria), e relatou essa nova fase para a região como sendo um presente. “É um presente mesmo, não só por juntar a comunidade portuguesa no interior do estado de São Paulo, em São Carlos, sabendo de antemão que somos apaixonados por Portugal”, disse ele citando que o restaurante “Solar dos Portuga” se tornou um ponto de encontro dos portugueses na região.
“E eu com esse papel de assessoria consular acabei por ter um papel mais ativo do que eu tinha antes mesmo de conhecer o Plácido”, referiu André Ribeiro, destacando que atualmente está sendo emergente esses pedidos de cidadania portuguesa em São Carlos e região. “Muita gente tem nos procurado para darmos algum apoio, para podermos explicar quais os quesitos para ter uma cidadania portuguesa, quer por aquisição ou por sangue. Mas eu e o Plácido acabamos por ter um papel fundamental em São Carlos, e na criação da Casa de Portugal”, disse ele que vem sendo cotado para ser vice-presidente da nova casa.
“Há uma grande chance de o Plácido ser eleito presidente, não poderia ser outra pessoa, eu que sou o ‘doido’ que seguiu o ‘doido’ sou indicado a vice, se tudo correr bem, e para nós já é uma realidade dos fatos o que está a acontecer”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend