Centro Português comemora 123 anos de fundação e Dia da Restauração da Independência

Por Vanessa Sene
Foi na noite de 1 de dezembro que o Centro Cultural Português promoveu uma solenidade em comemoração ao seu aniversário de fundação e ao Dia da Restauração da Independência de Portugal. A noite contou com o cônsul-geral de Portugal, Dr. Paulo Nascimento, como orador da noite, abordando esse grande momento da história e a comunidade portuguesa em Santos e no Brasil.
Além de aniversário da entidade, a solenidade comemorou a Restauração da Independência. Após 60 anos de domínio espanhol, na chamada União Ibérica que teve grande rejeição popular, os portugueses conseguiram restaurar sua independência, o que faz com que a data seja comemorada com orgulho em Portugal e pelos portugueses no mundo.
O presidente José Duarte Alves declarou que participa dessa comemoração do 1º de Dezembro há mais de 20 anos em Santos. “Especialmente hoje, eu esperava mais público, mas foi bom e o Sr. Embaixador fez uma palestra muito bonita e interessante sobre a história de Portugal e nossa casa”, comentou Duarte sobre o ato cívico na sede cultural.
O Centro Cultural Português comemorou 123 anos de história. “Isso está no sangue português, é uma teimosia, uma paixão, sei lá. Essa é minha segunda casa, tenho uma paixão especialmente por esse edifício em estilo neomanuelino. Vamos nos envolvendo e quando se dá conta está tudo enroscado e não há maneira de sairmos”, brinca o presidente sobre a participação por tantos anos na comunidade.

Balanço do ano e Jovens
O presidente do CCP ainda destacou a importância dos antepassados, fundadores da entidade e dirigentes, mas chamou atenção para a participação dos jovens também.
“O que acho mais importante agora é a juventude se aproximar, não um pouco, mas muito, para que possamos levar isso adiante por muitos mais anos. Gostaria de trazer os jovens, não sei qual será o mecanismo para atrair os jovens. Temos trazido bastante jovens, até mesmo na diretoria nós temos. Eles são os mentores do amanhã, eles que vão comandar” disse o presidente que sempre continuará no clube, mas não pode ser “um presidente eterno”.
Duarte, que encerra sua gestão no ano que vem, disse que a estrutura do Centro Português está montada, “e bem montada, no caminho certo, apesar da crise vamos conseguindo manter”, disse ele.
E analisa 2018 com um saldo positivo para a entidade. “Nós fizemos muita coisa nesse ano. Nós tivemos festa da vindima, Santoinho, almoços do Verde Gaio, o Alto de Fátima, o 10 de Junho, tivemos teatro, tivemos aqui a Sinfônica de Santos, uma série de atividades, além dos grupos folclóricos sempre se apresentando em Santos, em São Paulo. Foi um ano muito positivo, uma corrida louca, mas levamos tudo a cabo, e já temos um calendário fixo para 2019”.
Uma das novidades já estabelecidas para o ano que vem é a apresentação do Rancho Folclórico Verde Gaio em terras argentinas. De 11 a 15 de setembro, o rancho deve se apresentar em Buenos Aires e La Plata.

A comunidade
Segundo o Cônsul-Geral, o convite informal para ser orador da noite foi feito num encontro no Consulado em São Paulo, e contou que aceitou “imediatamente”. “Sabia algo já sobre a história dessa instituição, muito meritória, porque achei que a honra não era do Centro Cultural, era minha por ser convidado, e por isso disse imediatamente que sim”, diz Paulo Nascimento.
“Faço com muito gosto porque não só a instituição merece, mas a comunidade portuguesa e luso-brasileira de Santos merece. E como digo, a honra não é do Centro, é minha”.
No encerramento deste ano no novo cargo, que ocupa desde setembro, o cônsul-geral elogiou a comunidade luso-brasileira, comentando do que já conheceu até o momento.
“É uma comunidade muito respeitável sobre todos os aspectos, respeitável em termos numéricos, é uma comunidade numerosa, é até difícil estabelecer seus limites, por causa da diferença entre comunidade portuguesa e luso-brasileira, ou o que são os brasileiros por razões afetivas e de ligação, alguns têm nacionalidade portuguesa outros não tem, é muito complexo”, comenta.
Para Dr. Nascimento, é uma comunidade dinâmica, composta por pessoas muito diferentes e que “partilham um gosto e um sentimento muito grande” por Portugal. “No momento em que o mundo é mais integrado, esta presença e sentimento por Portugal junto à comunidade que está aqui há tantos anos, não pode deixar de ser importante quer para Portugal ou para o Brasil, e pode ser na minha modesta opinião um veículo importante de reforço nas relações entre Portugal-Brasil e benefício mútuo entre os dois países” finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend