Casa de Portugal de Campinas comemorou 62 anos com show de fados

Por Odair Sene
A Casa de Portugal de Campinas promoveu seu evento de aniversário na noite de 14 de março, comemorando o seu 62º aniversário de fundação. Apesar dos problemas causados pela epidemia mundial, a entidade não tinha tempo hábil para cancelar o evento e, corajosamente manteve a festa tomando cuidados como disponibilizar álcool-gel pelos vários ambientes e contando com o fato de que este final de semana não estava (ainda) tão crítico de infectados no Brasil – Campinas por exemplo não tinha ainda nenhum caso confirmado.
“Não podemos fechar os olhos para as coisas que acontecem, o coronavírus é realmente um fato, depois da China está se espalhando por Portugal e pela Europa inteira, chegou aqui na América Latina. Eu creio que um grande problema é a mídia sensacionalista levando pânico para a população em geral, isso temos que levar com um pouco mais de responsabilidade” disse Vagner chamando atenção para outras causas e doenças que merecem a atenção devida, “talvez matando mais do que o coronavírus”.
Já a primeira dama Lílian Vieira falou que as pessoas naquele momento deveriam apenas aproveitar a festa: “O aniversário da casa é um evento especial no ano, espero que todos se divirtam, aproveitem e esqueçam um pouco desse assunto coronavírus, é um jantar especial e um fado magnífico” disse ela.
Por conta disso a Casa de Portugal recebeu menos visitantes do que seu normal, mas ainda assim contou com um ótimo público para ver fados com os luso brasileiros: Marly Gonçalves e Tiago Felipe, acompanhados pelos irmãos de músicos: Ricardo e Renato Araújo e ainda o Igor Kennedy (baixo) e Igor Cardoso (bateria).
A casa também caprichou muito na mesa de entrada com presunto parma, pães, tremoços, bolinhos de bacalhau (cuidados pela esposa do presidente Lílian Vieira) e que fizeram muito sucesso juntamente com as alheiras, queijos e demais acompanhamentos, além da degustação de vinhos ali na entrada. Tudo antecedendo o jantar que foi farto, sem filas, completo, e com aquela qualidade de bacalhau que a casa se especializou.
“Tudo o que foi feito de coisa boa nós estamos mantendo, então nessa mesa de entrada temos tudo de qualidade. Realmente a gastronomia, creio que é uma obrigação nossa mantermos a qualidade”, disse citando que o carro chefe da casa sempre será o bacalhau de qualidade e com fartura, “que é o jeito português de receber as pessoas”.
Ao Mundo Lusíada o presidente Vagner Vieira disse que a casa chegou ao patamar atual, graças aos seus antecessores. “Graças ao trabalho de muitos portugueses, de muitos luso-descendentes e muitos brasileiros que construíram tudo isso. Então vamos dar continuidade nessa tradição, e também com uma parte de modernização naquilo que é necessário”, disse. “Sou grato a todos que me antecederam, sem eles não teríamos esse trabalho, e grato por termos essa casa que é um marco, não só em Campinas como na região”, agradeceu.
Segundo o presidente, essa gestão tem projetos de aproximação com outras casas que estão sendo fundadas na região de Campinas. A intenção é “sempre perpetuar essa cultura portuguesa de uma maneira geral”.
Fado marcou o aniversário
A maior característica musical portuguesa, o fado esteve presente no aniversário da casa, com a fadista Marly Gonçalves e o Tiago Filipe, que cantaram juntos e individualmente. “É sempre um prazer retornar a esta casa, porque por muitas vezes já viemos aqui participar dos eventos portugueses. Então vir comemorar essa festa com todos os amigos, e amigos novos que aparecem, é realmente um prazer”, disse a Marly.
“Vamos fazendo a dinâmica do show, a gente interage com o público e com a gente mesmo”, diz ela. Eles estiveram acompanhados dos músicos Ricardo e Renato Araújo. “São os meus meninos, como eu digo, são meus filhos de coração, que tem um respeito enorme pela cultura portuguesa, me ensinam muito”.
O fadista Tiago Filipe também comenta sobre dividir o palco no fado. “O gostoso de dividir palco é com pessoas que a gente gosta. E uma das pessoas que eu gosto de trabalhar chama-se Marly Gonçalves, sempre gostei, é uma amizade de muitos anos. Acabamos nos afastando pelo trabalho, ela faz o trabalho dela que é muito bonito, eu faço o meu com a Elyana (também fadista) e quando a gente se encontra é uma alegria. Trabalhar com Ricardo e Renato é um prazer muito grande, são dois valorosos músicos que eu gosto não só como músicos mas como amigos”.
Os irmãos Ricardo e Renato Araújo fizeram carreira com a guitarra portuguesa no Brasil e fora em diversos países. “Isso vem desde o professor Manuel Marques, nós demos continuidade no trabalho instrumental da guitarra portuguesa, não só no Brasil como no exterior também. Todos os anos estamos indo para Portugal, Viena, Russia, etc..”.
Ricardo Araújo tem um intenso trabalho nas redes sociais, apostando na divulgação na internet, e assim já chegou a países distantes com seu talento musical. “Tenho um produtor austríaco, eu fui o ano passado realizar alguns concertos em Viena e estou retornando esse ano”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend