Brunhosinho comemora 26 anos com grupo de Minas recém formado, seu novo “afilhado”

Por Odair Sene

Em 28 de outubro, a Casa de Brunhosinho de São Paulo fez uma grande festa para comemorar seus 26 anos, tanto da casa quanto do Rancho. A ensaiadora da casa, Ana Pantaleão, disse ao Mundo Lusíada que foi muita honra serem nomeados padrinhos do grupo mineiro, Grupo de Danças Amigos da Casa de Portugal de BH, “hoje é uma data especial, porque é nosso aniversário, mas também pela presença do nosso novo afilhado de BH, que veio pra dançar com a gente”.
Atualmente a Casa de Brunhosi-nho mantém 22 crianças em seu folclore, tendo já duas denominações, “Grupo Infantil” e “Grupo Adulto”, que não ficam separados, estão atuando juntos, nas mesmas apresentações, mas em momentos diferentes durante as exibições. “Não estamos mais fazendo aquela mesclagem de adultos e crianças, estamos separando e fazendo crianças dançarem com crianças e adultos com adultos”, disse a Ana que ensaia as mesmas musicas: “e eles [as crianças] me cobram, eles não gostam das músicas mais paradas não, como as de Arouca, Ilha da Madeira, eles gostam mais de viras, fandangos, com passos mais rápidos”, disse.
A coordenadora e ensaiadora do grupo visitante, Renata Moreira Pinto, falou do recém lançado grupo, mas que pertence a uma entidade centenária em BH, com 105 anos, a Casa de Portugal de Belo Horizonte.
“Nosso grupo acaba de ser lançado, tem apenas sete meses e fez sua primeira apresentação a pouco mais de um mês, em 16/09, tendo um grande diferencial, ele foi formado por alguns componentes idosos e que nunca dançaram nenhum tipo de música, nunca tiveram uma oportunidade de vestir um traje, então cada ensaio é uma vitória, cada dia que passa pra gente é uma superação a mais para cada um deles”, disse a Renata revelando que teve casos de alguns que nem saiam de casa, e estão vencendo até a depressão.
O grupo tem 36 componentes, com 90% de idosos. Quando os netos e filhos foram assistir os ensaios, se ambientaram e acabaram (alguns) indo também para o grupo. Além dos idosos, tem muita variedade de idade, com crianças de um ano até idoso de 87 anos. A característica musical do grupo é apresentar músicas do Douro litoral e Beira litoral, esta noite com trajes de trabalho, Passos de Brandão (na maioria), por conta das musicas dessas regiões, mais leves, mais apropriadas para quem nunca dançou. “As danças que eles viam nas aldeias quando eram pequenos, e isso nós fomos buscar na memória deles”, disse a Renata.
Outro diferencial do grupo, é que os trajes utilizados pertencem aos seus usuários, cada um pagou pelo seu traje e portanto cuida da melhor maneira. Assim também acontece com seus instrumentos.
O diretor do grupo, pai da Renata, José Amaro (fundador e idealista) valorizou o trabalho da filha dizendo que ela conseguiu preparar e ajustar esse grupo em seis meses, o que, em Portugal levaria dois anos. “Então graças aqui a Renata, ela está conduzindo este grupo com muito carinho, com muita inteligência, e trabalha mesmo por amor”, disse José Amaro também parabenizando o grupo da casa pelos 26 anos.
No palco quem apresentou o Brunhosinho foi a Ana Maria Romano Batista e o grupo visitante a apresentação foi da Renata Moreira, coordenadora e ensaiado-ra. No palco ela ainda reforçou a aprovação dos “padrinhos” chamou representantes dos grupos para um breve momento de troca de presentes.
O presidente da entidade mineira, Sr. Antonio e a primeira dama Sra. Leonice (que é também a diretora cultural), foram chamados para fazer a entrega de uma placa ao presidente da Casa de Brunhosinho, Sr. Domingos Pantaleão, que agradeceu a vinda do visitante.
Depois de várias trocas de presentes, o presidente Pantaleão leu uma mensagem dizendo que a casa está bem representada na questão da cultura, que conta com muitos jovens tanto na diretoria quanto no grupo. “Esses jovens com certeza vão dar continuidade às atividades da nossa casa”, o que garante o patrocínio do Laticínio Gegê, a indústria de leite e derivados, pertencente a família Pantaleão. Outra placa também foi entregue para a Dona Natália, a vice da casa.
O presidente Antonio Andrade Mendes esteve pela primeira vez na entidade co-irmã de São Miguel, ao Mundo Lusíada ele elogiou muito, agradeceu a acolhida e disse ser “um prazer muito grande” estarem na festa de aniversário dos novos padrinhos de São Paulo. O grupo de Minas veio nesta primeira viagem de sua história, especialmente para este evento, retornando logo em seguida para BH.
Depois das apresentações dos dois grupos, muita festa no “parabéns” cantado com todos juntos no palco marcando uma grande confraternização, finalizando a noite festiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend