Bordadeiras lutam para manter viva tradição madeirense

Por Ronaldo Andrade Para Mundo Lusíada

Ronaldo Andrade

>> As integrantes da União das Bordadeiras do Morro de São Bento: Maria Gonçalves Pestana, Maria Paixão, Maria Alexandre Fernandes e Isabel da Paixão.

Elas não são o Quarteto Fantástico, célebre conjunto das histórias em quadrinhos e do cinema. No entanto, a luta das bordadeiras é tão árdua quanto a dos super-heróis. Com dedicação e vontade de manter viva a tradição do bordado, fundaram em 1984 a União das Bordadeiras do Morro de São Bento.

Isabel da Paixão, Maria Teresa Gonçalves e Maria da Paixão chegaram ao Brasil na década de 50, acompanhando os esposos. Por aqui tiveram filhos e netos. Maria Alexandre Fernandes, filha de portugueses, é a única brasileira da turma. Após a morte dos maridos – todas são viúvas – o laço entre elas fortaleceu-se, até porque, segundo afirmam, “a vida em Santos é parecida com a que tínhamos na Madeira”, dizem.

Elas vendem os bordados no Ilha Porchat Clube, em São Vicente, e no Orquidário Municipal de Santos, no primeiro e no segundo domingo de cada mês, respectivamente. São lençóis de casais, enxovais para bebê, caminhos de mesa e toalhas de bandeja, entre outras peças, que estão à disposição do público. Para o coordenador dos Parques Turísticos de Santos, Marco Antônio Francisco, o trabalho realizado pelo grupo, que expõe no parque há cerca de 20 anos, “é importante para a cidade e para o Orquidário, que apóiam o trabalho artesanal que é desenvolvido pelas bordadeiras”, afirma.

O casal Antônio Alves e Manoela Rodrigues, que esteve no parque no último dia 13, costuma visitar o quiosque das bordadeiras: “É muito bonito os bordados que elas fazem”, disse Manoela, madeirense que vive no Brasil há mais de 40 anos.

Ensinamentos No curso promovido pela prefeitura de Santos, elas procuram ensinar às alunas a melhor maneira do recorte e o jeito mais apropriado de fazer o bordado. Utilizam para a confecção materiais como cambraia e algodão, além de linha e agulha para a feitura dos mesmos. A primeira turma, após um período de três anos, se forma em 2008, com direito a uma exposição no final do curso.

Apesar de ser uma tradição antiga, algumas mães ainda compram para suas filhas uma peça para o enxoval, quando as filhas vão se casar. Um dos objetivos do curso, segundo explica Maria Teresa, coordenadora das atividades, é precisamente transmitir às novas gerações o conhecimento para a confecção dos bordados, mantendo viva uma das tradições típicas da Madeira.

Serviço: Curso de bordado gratuito Local: Centro Turístico, Esportivo e Cultural do Morro do São Bento – Rua São Luiz s/nº. Informações: (13) 3223-7970. Orquidário Municipal de Santos: Praça Washington, s/nº, no José Menino. Ingresso: R$ 1,00. Crianças até 12 anos e pessoas acima de 60 não pagam. Informações: (13) 3237-9670.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend