Santo Ivo, Padroeiro dos Advogados

Juridicamente Falando de Portugal… Para os Portugueses e Luso Descendentes

No dia 19 de Maio comemora-se o dia de Santo Ivo, o Santo padroeiro dos advogados.

Santo Ivo foi um Frade Franciscano discípulo de S. Francisco de Assis e de S. Tomás de Aquino que nasceu na Bretanha, França em 17 de Outubro de 1253 e faleceu em 19 de Maio de 1303, com 50 anos de idade. Foi canonizado pelo Papa Clemente VI em 1347. Filho de Helori, lorde de Kermartin, e Azo du Kenquis, aos 14 anos Ivo Helori de Kermartin (assim era conhecido Santo Ivo) foi para Paris, onde mostrou o brilho da sua inteligência. Nesta cidade cursou filosofia e teologia, direito civil e direito canónico.

Ordenado sacerdote, por quatro anos aceitou ser juiz eclesiástico no Tribunal da diocese de Rennes por onde passavam as questões mais espinhosas. Com a sua sabedoria, imparcialidade e espírito conciliador, desfazia as inimizades e conquistava o respeito até dos que perdiam a questão. Os seus emolumentos, quando exerceu estas funções oficiais de Juiz de Rennes, eram oferecidos aos pobres, para que fossem usados em sua defesa.

A defesa intransigente dos injustiçados e dos necessitados deu-lhe o título de “advogado dos pobres”, um título que continuou a merecer ao tornar-se sacerdote. Residiu no solar de Kermatin, que herdou dos seus pais, e nele construiu um hospital, um lar de apoio para os idosos e um orfanato para as crianças abandonadas, pessoas que tratava com as suas próprias mãos. Um exemplo inspirador para todos.

Não houve, enquanto viveu, advogado de tanto renome e homem mais estimado na Bretanha.

Vinham ter com ele os ignorantes, pobres e servos que os senhores oprimiam e que Ivo de Kermartin defendia.

Patrono dos advogados, Santo Ivo entregou-se à defesa dos miseráveis e oprimidos, contra os poderosos. Dizia, então: “Jura-me que a sua causa é justa e eu a defenderei gratuitamente”.

Notabilizou-se, principalmente, por dedicar a sua erudição à defesa, nos tribunais, de toda a minoria deserdada de fortuna.

Em 1992, Santo Ivo foi reconhecido pela Ordem dos Advogados como patrono dos Advogados portugueses e todos os anos, pelo dia 19 de Maio, são realizadas várias cerimónias oficiais.

Decálogo de Santo Ivo:

I – O advogado deve pedir ajuda a Deus nas suas demandas, pois Deus é o primeiro protector da Justiça;

II – Nenhum advogado aceitará a defesa de casos injustos, porque são nefastos à consciência e ao decoro;

III – O advogado não deve onerar o cliente com gastos excessivos;

IV – Nenhum advogado deve utilizar, no patrocínio dos casos que lhe são confiados, meios ilícitos ou injustos;

V – O advogado deve tratar o caso de cada cliente como se fosse o seu próprio;

VI – O advogado não deve poupar-se a trabalho nem tempo para obter a vitória do caso que tem entre mãos;

VII – Nenhum advogado deve aceitar mais causas do que o tempo disponível lho permite;

VIII – O advogado deve amar a Justiça e a honradez tanto como a menina dos seus olhos;

IX – A demora e a negligência de um advogado causam prejuízo ao cliente e, quando isso acontece, deve indemnizá-lo;

X – Para fazer uma boa defesa, o advogado deve ser verídico, sincero e lógico.

 

De Portugal, despeço-me, até à próxima edição, com as maiores saudações.

 

Por Antonio Delgado
Advogado em Coimbra, Portugal, escreve a coluna “Realidade Jurídica” sobre Brasil-Portugal no Mundo Lusíada Online.
www.wix.com/advogado/advogado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend