O que vem a ser uma “Aldeia” e uma “Freguesia”

O que vem a ser uma “Aldeia” e uma “Freguesia” na nomenclatura portuguesa, palavras maravilhosas que nos mostram uma suavidade e descritivas de uns locais. Na minha forma de ver as coisas como descendente direto de duas Aldeias Portuguesas; tratam-se de um ideal criado há séculos e séculos sem fim, mesmo porque acompanhei essas palavras maravilhosas, com os meus Bisavós, Avós, Pais, Tios e Primos que vieram de Portugal em épocas seguidas para o Brasil e eles vieram de Trás-os-Montes das aldeias de Rio Frio/Bragança e Carção/Vimioso.
Para todos emigrantes portugueses nesses séculos onde a lusitana gente veio para o Brasil e outras paragens, a palavra Aldeia e Freguesia, vieram sempre acompanhando os seus corações, uma vez que a imagem de suas vidas pregressas ficaram eternamente ligadas em outras paragens aos tempos anteriores, e com muito orgulho o cidadão emigrante quanto lhe perguntavam de que local viestes e a resposta era sempre: “Da Aldeia e Freguesia de Portugal”.
Comumente podemos citar como Vilas, Aldeias e freguesias, e até em atos registrados secularmente em bibliotecas, em cadernos, livros e anotações e como exemplo podemos citar algo do século XIII (13), com as datas do antigo Calendário Juliano, o qual expirou em 1513.
“Uma Aldeia no Planalto trasmontano, que fica quente no Verão e Fria no Inverno e a dependência administrativa fica sempre ligada a centros demográficos de maior densidade demográfica. As inquirições de Dom Afonso III (1258), referem-se que foi dado honra à Vila Medievel como “Aldeia e Freguesia” ao lado de outras vilas rústicas. Todas nasceram de agregados de colonização e cujo modo de vida era a agricultura e a pecuária e com suas festas e tradições.
A vida nessas Aldeias e Freguesias sempre foi cronometrada pela suceder das estações climáticas e bem como dos trabalhos agrícolas e com tonalidades agrestes.
Nessas Aldeias e Freguesias geralmente as paisagens são dadas como montanhesas e localizadas de acordo com o clima e que naturalmente de acordo com o ser humano que estão condicionadas às suas próprias saúdes, clima rigoroso para uns, medianos para outros e ótimos para terceiros e naturalmente todos notam com carinho em suas vidas com as pessoas naturais das cidades grandes, onde nas Aldeias todos priorizam a tranquilidade natural de seus locais, todavia, todo habitante de Aldeias ou Freguesias tem as suas personalidades e todos querem levar ao mais recôndito de seus corações os nomes de suas Aldeias.

SAUDADES DA MINHA ALDEIA de um autor trasmontano: “Inigo Manuel Guerra”
Saudades de Minha Aldeia,
Que trago sempre na idéia,
Pela terra mais distante;
Penso nela à toda hora,
Recordoa-a pela vida fora,
Como se fosse migrante.
Neste saudoso cantinho,
Já construí o meu ninho,
Era desejo, afinal,
O encanto das suas fontes.
Oh terra de Trás-os-Montes,
Deste Pais PORTUGAL

Eu, como Luso-descendente e que já estive por 4 vezes em Portugal, percorri todos esses espaços de Aldeias e Freguesias de todo PORTUGAL, e no meu entender isso poderá ser até firmado uma “Aldeia ou Freguesia” como para um “Bem da Humanidade”.

 

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend