Lusitano, Luso, Luso-descendente, termos milenares de Eras Fantásticas

Lusitanos, Celtas, Iberos, Gregos, Fenicios, cartagineses, vândalos, suevos, godos, visigodos, romanos e mouros. Todos esses nomes de povos que habitaram o território, hoje do PORTUGAL ETERNO, deram este povo maravilhoso, com certeza, o povo português. Eras incríveis se passaram, lutas fantásticas aconteceram, invasões à todas épocas e as misturas genéticas foram acontecendo.

Desde tempos imemoriais, no território português tribos diferentes se acantonaram no seu território, umas mais avançadas do que as outras, e tão somente após a invasão dos Celtas, um povo do centro da Europa, que conheciam a liga do ferro e outras atividades guerreiras, após a invasão enturmaram-se com os povos dessas tribos e dali é que se começou a formar o ideal lusitano nas gerações seguintes.

Nos primórdios de 10.000 anos atrás, após a terrível era fria, na Europa o clima arrefeceu-se e os seres humanos, bem como os animais, começaram a emigrar para outras regiões e ali em Portugal, os atuais pesquisadores encontram restos de alimentos petrificados, mormente no Vale do Tejo e do Sado, mostrando evidentemente a concentração de grupos de povos que durante milhares de anos por ali passaram.

Ali começou a cultura megalítica portuguesa, e houve alguma concentração no Alto Alentejo, por povos que vieram do centro da Europa e da Ásia Menor, e como provas esses povos do Alentejo deixaram impressionantes monumentos funerários, como podemos citar também o Castro de Vila Nova de São Pedro, ao lado do Cartaxo. Ali encontrou-se muito material milenar elaborado por esses povos, como mitres de cobre, trabalhos de cerâmica e alguma coisa fundida de minério de cobre. Houve também em regiões do Tejo e do Sado, os fortes de Torres Vedras e do Cartaxo, achados de matérias de cobre e estanho.

Da mesma forma, foram encontradas grutas nas regiões do Estoril, Palmela e outros locais, sepulturas com objetos em vasilhas de barro e utensílios polidos, como também pedaços de joias de ouro.

Já na Idade do Bronze, ou seja, de2000 a.C a800 a.C., novas ondas de imigração aconteceram e os povos começaram a deixar as grutas de habitação e construir casas de pedras, sempre em locais mais altos. E daí até o primeiro milênio antes de Cristo, grandes movimentações de povos que invadiram a Península Ibérica, inclusive o povo Celta, bem como outros povos chegaram também, todavia, o mais forte de todos foi o do povo romano, que chegou no ano de 219 antes de Cristo e os romanos encontraram povos diferentes, e acima do Douro, os Calaicos, e entre o Douro e o Tejo habitavam os LUSITANOS que eram já uma mistura dos Celtas e dos Iberos, os Celtiberos.

Ao Sul do Tejo habitavam os célticos e no Algarve os Cónios, no entanto, provavelmente eles eram celtas como os lusitanos que pressionados por guerrilhas emigraram para o Sul de Portugal.

Com a romanização desses todos povos, que começaram a adquirir os costumes romanos, a sua língua, o Latim, a cultura jurídica, os lusitanos que foram os que mais lutaram contra as ordas romanas, foram se acostumando com o progresso advindo de Roma, e Lisboa chegou a ser o maior Município Romano de todos os tempos, de onde seguiam navios cheios de mercadorias para Roma.

Os Lusitanos começaram a salientar-se na formação geral dessa mistura grandiosa de povos e surgiu na realidade a primeira “Língua” o Lusitano arcaico, derivado do Latim, que depois do ano 711 de nossa era, com a invasão Moura, um povo que veio da África, do Marrocos e Mauritânia, começou-se a solidificar a Lusitânia como povo real e forte, mistura eterna de todas essas raças e como todos conhecem surgiu no começo do segundo milênio o Portugal inicial, com toda a fibra emanada desses todos povos que existiram.

Hoje a denominação de “Lusitano, Luso e Luso-Descendente ficou fixada eternamente e todo cidadão português goza desse título maravilhoso e sempre as associações existentesem nosso BRASILcostumam ter esses títulos, como a Associação Portuguesa de Desportos, a Lusa do Canindé, a Associação Atlética Portuguesa de Santos chamada Portuguesa Santista e Lusa das praias. o Clube Lusitano de São Paulo, o Clube de Regatas Vasco da Gama do Rio de Janeiro, o clube luso/cruzmaltino, e o cidadão também em geral é chamado de luso, como a minha pessoa, me conhecem como Luso-Descendente, do qual tenho muito orgulho de ser. Assim sendo milhares de anos se passaram e na conjunção de povos maravilhosos, nos termos LUSITANO, LUSO E LUSO-DESCENDENTE, vieram de eras fantásticas, para honra e glória do nosso querido e eterno PORTUGAL.

 

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend